Isaquias Queiroz: posso dizer que sou o cara da canoagem do Brasil

Atleta conquistou o lugar mais alto do pódio em Tóquio

Isaquias Queiroz recebe a medalha de ouro após a conquista na canoagem
Isaquias Queiroz recebe a medalha de ouro após a conquista na canoagem Foto: Lee Jin-man/AP

Marcela Monteiro, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Isaquias Queiroz, ouro na canoagem nas Olimpíadas de Tóquio, já tinha cogitado a possibilidade de largar o esporte, mas resolveu seguir em frente. Depois de muito trabalho, alcançou o topo do pódio e trouxe a tão esperada medalha de ouro para casa.

O atleta participou de uma coletiva no CT Time Brasil, Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, nessa quarta-feira (11) e garantiu que a medalha que trazia no peito “não foi  sorte, mas muito trabalho”.

O atleta não escondeu o orgulho do resultado. “Hoje posso dizer que sou o cara da canoagem do Brasil. Precisava mostrar que não foi sorte, foi trabalho. Eu e meu treinador sabíamos o quanto treinamos. O cronômetro não mente. Chegou lá e mostrou para todo mundo que eu estava em um nível acima dos adversários, mas isso porque eu trabalhei muito.”

Isaquias reforçou que essas Olimpíadas foram muito importante para os nordestinos e disse estar muito feliz em representar essa região do país. Mas depois de tanta dedicação, agora ele quer férias. “Vou ter que descansar um pouco, aproveitar a família, porque em Paris (próximos jogos olímpicos) os olhos do Brasil vão estar voltados para mim, para a Rebeca, para nossos atletas. Vou tirar uns dias para relaxar, viajar antes”.

Isaquias já tinha feito história na Olimpíada do Rio 2016 com três medalhas (duas de prata e uma de bronze). Agora garantiu o ouro e até colocou um plástico para protegê-la. “Tem que tomar cuidado. Todo mundo quer ver, tirar foto, colocar a mão. Eu deixo. Mas protegi e fico de olho para ninguém sair correndo com ela. Foi muito esforço”, brincou o atleta.

Mais Recentes da CNN