Olimpíadas 2020: Paulo André garante vaga na semifinal dos 100m rasos

Velocista brasileiro fez 10s17, 3.º tempo em sua bateria, e é o único atleta do país classificado na prova; no salto em distância, Melo e Samory não avançam

Murillo Ferrari*, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

No segundo dia de disputas do atletismo nas Olimpíadas de 2020, Paulo André Camilo foi o grande destaque do Brasil. Na eliminatória dos 100m rasos, ele fez uma boa prova, terminou sua bateria em 3.º e garantiu vaga na semifinal da prova.

Felipe Bardi e Rodrigo Nascimento, que também disputaram baterias eliminatórias, ficaram de fora, assim como Alexsandro Melo e Samory Uiki no salto em distância.

Paulo André correu na sexta bateria dos 100m rasos, a penúltima do dia. Ele largou bem e correu forte na segunda metade da prova, chegando na terceira colocação, com o tempo de 10s17. 

Na classificação geral, o brasileiro terminou em 26.º, mas como os três primeiros de cada bateria garantem vaga automaticamente, disputará uma vaga na grande final.

As três semifinais da prova serão disputadas neste domingo (1), às 7h15, 7h23 e 7h31 (horário de Brasília). Já a final dos 100m rasos, que definirá o homem mais rápido do mundo – na primeira edição dos Jogos desde 2004 sem a participação da estrela jamaicana Usain Bolt –, está marcada para 9h50.

Paulo André fez o tempo de 10s17, terceiro melhor em sua bateria dos 100m rasos
Paulo André fez o tempo de 10s17, terceiro melhor em sua bateria dos 100m rasos
Foto: Wagner Carmo – 31.jul.2021/CBAt

“Foi diferente. Tive que mudar a estratégia no meio da prova. Tive uma boa saída, mas uma má aceleração. Quando eu consegui acompanhar, eles fugiram um pouco e foi o momento que pensei em tranquilizar mais e atacar no final para poder passar”, disse Paulo André, depois da prova.

“Entrei para melhorar o meu tempo, mas tive que ter paciência para mudar essa estratégia e consegui. Terem queimado a largada também atrapalha, mas agora é trabalhar mentalmente na minha recuperação para poder chegar bem na semifinal”, completou, se referindo ao atleta de Togo Fabrice Dabla, eliminado na primeira largada da bateria.

Outros brasileiros na prova

Antes de Paulo André, o primeiro brasileiro nas eliminatórias dos 100m rasos foi Felipe Bardi. O atleta, que tinha o melhor tempo do país no ano, largou um pouco atrás e conseguiu fechar a prova na 5.ª colocação, com o tempo de 10s26. Assim, Bardi não conseguiu a classificação, terminando na 38.ª posição geral.

“Eu queria correr minha melhor marca pessoal. Cheguei bem, treinei bem… O ano inteiro eu corri diversas vezes abaixo de 10s20, 10s15. Mas eu tive um problema na saída, achei que saí mal e é uma coisa que preciso consertar”, disse o velocista brasileiro.

“A prova está muito forte, com muita gente correndo abaixo de 10 segundos, mas eu queria ter feito uma prova melhor e me classificado para a semifinal. Mas estou muito feliz por estar aqui, meus primeiros Jogos Olímpicos. E agora é pensar no revezamento 4x100m que tem chances claras de medalha”, explicou.

Por fim, Rodrigo Nascimento correu a última bateria dos 100m, chegou a disputar uma vaga nos metros finais, mas acabou não conseguindo avançar. Ele terminou na 6.ª colocação, com o tempo de 10s24.

Salto em distância

Alexsandro Melo foi o primeiro brasileiro a entrar em ação neste sábado (31). Ele saltou depois do cubano Juan Miguel Echevarria – que já fez 8.50m logo de cara –, e acabou queimando a primeira tentativa. 

Na sequência, o brasileiro queimou o segundo salto e se complicou na disputa. O terceiro e último salto de Alexsandro Melo foi válido, mas ele fez apenas 6.95m e ficou fora da final.

“Foi duro. Quando a gente não consegue fazer o que espera é duro. A gente treinou muito, sabemos das dificuldades que todo mundo passou por causa da pandemia. Mas eu esperava ser melhor hoje na marca. Não consegui acertar, mas saio de cabeça erguida. Eu tenho mais coisa para fazer, ainda tem o salto triplo. Então tenho que acalmar os ânimos, reprogramar tudo para poder saltar bem. Isso aqui é um sonho, minha primeira Olimpíada e estou muito feliz”, disse Alexsandro.

Também no salto em distância, Samory Uiki representou o Brasil e estreou com salto de 7.88m. Na segunda e terceira tentativas, entretanto, ele também acabou queimando os saltos e terminou em 16.º no geral, não conseguindo avançar à decisão em sua primeira ida aos Jogos.

“Fiz um primeiro bom salto e tentei arriscar nos outros dois, mas acabei fazendo dois falsos. O objetivo era saltar para 8.00m, então saltei relativamente bem. São coisas do esporte, tentei arriscar e esse era o momento. Qualificatória que para nós tem gostinho de final. Tentei fazer o meu melhor e não deu. Mas estou muito feliz de estar aqui, isso é maravilhoso”, celebrou Samory.

Outras vagas na final

Thiago Braz foi à final do salto com vara nas Olimpíadas
Thiago Braz foi à final do salto com vara nas Olimpíadas
Foto: Wander Roberto/COB

Na noite de sexta-feira (30), Thiago Braz e Izabela da Silva garantiram vaga nas finais do salto com vara e arremesso de peso, respectivamente. 

Medalha de ouro no Rio de Janeiro em 2016, Thiago alcançou a marca de 5.75m na segunda tentativa e fez o suficiente para se colocar no grupo que segue na disputa, na terça (3).

Mesmo sem estar entre os melhores do mundo na atualidade, o brasileiro passou pelas eliminatórias com a mesma marca dos candidatos ao pódio, e se mantém na briga para tentar novamente chegar entre os primeiros.

Já Izabela garantiu a melhor posição do Brasil na história do arremesso de peso nos Jogos ao avançar para a final na última das 12 vagas. 

Ela marcou 61.52m e segue na disputa, enquanto Andressa Morais e Fernanda Martins ficaram pelo caminho.

Antes deles, Alison dos Santos, o Piu, também havia se classificado para a semifinal dos 400m com barreira nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

(*Com informações do Olimpíada Todo Dia)

Mais Recentes da CNN