Ônibus do Grêmio é atacado, jogador se fere e Gre-Nal é adiado

Veículo do tricolor gaúcho foi apedrejado por torcedores do Inter na chegada ao estádio Beira-Rio

Ônibus do Bahia danificado após ser atingido por bomba na quarta-feira (24)
Ônibus do Bahia danificado após ser atingido por bomba na quarta-feira (24) Reprodução/Twitter/Grêmio FBPA

Leandro Silveiracolaboração para a CNN

Ouvir notícia

Marcado para este sábado (26), no Beira-Rio, o clássico Gre-Nal foi adiado. Isso porque o ônibus do Grêmio foi atacado na chegada ao estádio, em Porto Alegre, o que levou o time a se recusar a entrar em campo. O meio-campista paraguaio Villasanti foi atingido no rosto por uma pedra atirada por um torcedor do Internacional e foi encaminhado a um hospital.

“Diante de agressão covarde e absurda sofrida por nossa delegação, já comunicamos à Federação Gaúcha de Futebol nossa decisão de não disputar o clássico Gre-Nal neste sábado. Nossa atenção neste momento está toda voltada ao atendimento do atleta Villasanti, atingido no rosto por uma pedra, a aos outros membros da delegação machucados”, informou o Grêmio em um comunicado oficial.

Além de Villasanti, outros jogadores também foram atingidos por estilhaços de vidro. “Para além do desequilíbrio técnico gerado pelo ato criminoso e da ausência de clima esportivo para a partida, a decisão do Grêmio também é uma manifestação de repúdio a toda forma de violência”, acrescentou o clube em seu comunicado.

O Grêmio precisou de escolta da Brigada Militar do Rio Grande do Sul para deixar o estádio em segurança. A partida estava agendada para começar as 19 horas. A decisão pelo adiamento foi formalizada com a chegada do presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Luciano Dahmer Hocsman, ao Beira-Rio –o dirigente estava em Caxias do Sul, para acompanhar a partida entre Juventude e Caxias–, que se reuniu no estádio com dirigentes dos clubes. Assim que houver definição, a federação divulgará a nova data para o clássico.

O ataque ao ônibus do Grêmio aconteceu nas proximidades do estádio do Inter, na avenida Edvaldo Pereira da Silva. Os relatos dos dirigentes do clube são de que um grupo de torcedores surpreendeu o comboio que escoltava o ônibus o atacando com uma barra de ferro e uma pedra, que atingiu Villasanti.

O presidente do Internacional, Alessandro Barcellos, declarou que concorda com o adiamento do Gre-Nal e condenou o ato dos torcedores do clube. “O Internacional vem aqui manifestar com veemência a contrariedade a essa violência que tem acontecido com constância. É lamentável que isso tenha acontecido. O Inter vai contribuir de todas as formas para que sejam identificados aqueles que fizeram isso. O Inter concorda com a não realização da partida. Mas se preocupa com o desequilíbrio técnico do campeonato. Vamos conversar de forma tranquila para resolver”, disse, à imprensa, no Beira-Rio.

Em entrevista coletiva, o vice-governador e secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Ranolfo Vieira Junior, disse que dois suspeitos pela participação no ato foram detidos. Eles estavam no estádio.

O Gre-Nal, marcado para o Beira-Rio, seria válido pela nona rodada do Campeonato Gaúcho. O Grêmio lidera a competição, enquanto o Inter está em quarto lugar.

Invasão em Curitiba

Também neste sábado, torcedores do Paraná Clube invadiram o gramado da Vila Capanema, em Curitiba, nos minutos finais do segundo tempo da derrota por 3 a 1 para o União, resultado que rebaixou o time no Campeonato Paranaense.

Alguns deles foram agredidos e tentaram se defender. Os atletas saíram correndo para os vestiários, com a arbitragem encerrando o jogo antes do término do tempo regulamentar. Houve confronto com a Polícia Militar.

Torcedores do Paraná Clube entram em confronto com a Polícia Militar em Curitiba
Torcedores do Paraná Clube entram em confronto com a Polícia Militar em Curitiba / GABRIEL MACHADO/AGIF – AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Bomba no ônibus do Bahia

Ainda nesta semana, na quarta-feira (24), o ônibus do Bahia foi atingido por uma bomba quando chegava à Arena Fonte Nova, em Salvador, para disputar uma partida contra o Sampaio Corrêa, pela Copa do Brasil.

O goleiro Danilo Fernandes foi atingido por estilhaços no rosto e foi levado para um hospital. Além dele, o lateral Matheus Bahia e o atacante Marcelo Cirino também ficaram de fora da partida.

Mais Recentes da CNN