STF autoriza continuidade do projeto de construção do autódromo do Rio

Consórcio Rio Motorsports ganhou disputa para construir pista e quer disputar sede do GP do Brasil de Fórmula 1 a partir de 2021

Projeto do novo autódromo do Rio de Janeiro
Projeto do novo autódromo do Rio de Janeiro Foto: Divulgação/Rio Motorsports

Isabelle Resende, da CNN no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou a continuidade do projeto de construção do Autódromo de Deodoro, na Zona Oeste do Rio. O presidente do STF, ministro Dias Toffoli, suspendeu a liminar obtida pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) que impedia a realização de audiência pública virtual sobre o circuito.

O plano do Rio é ter um local pronto para receber ao Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 em 2021. A audiência é etapa obrigatória para a apresentação do relatório do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) sobre o impacto da obra em um antigo terreno do Exército e para a liberação da construção do autódromo. 

O consórcio Rio Motorsports venceu a licitação para construir o autódromo, mas a contratação tinha sido suspensa pela Justiça do Rio até que fosse efetuada a divulgação de todos os estudos ambientais.

A empresa pretende compensar o impacto ambiental com uma série de ações, entre elas o replantio de 700 mil árvores, reutilização de água e políticas de neutralização de carbono.

A obra está orçada em R$ 700 milhões. O Rio tem contrato encaminhado para receber a Fórmula 1 por dez anos, com a promessa do pagamento de cerca de R$ 340 milhões anuais entre taxa de promoção e ingressos VIP. 

Assista e leia também:

Chefe da Mercedes põe em dúvida GP do Brasil de Fórmula 1

Ainda fora do calendário da FIA, Doria diz que SP vai receber Fórmula 1 em 2020

A primeira prova seria em 2021. A cidade de São Paulo tem acordo com a categoria somente para receber a prova até o fim desta temporada. Para viabilizar o pagamento da taxa de promoção pelos primeiros anos, o Rio conta com a liberação feita no ano passado pelo governo estadual de um valor de R$ 302,4 milhões.

O valor foi aprovado em novembro pela Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Rio de Janeiro e virá de renúncia fiscal a partir de empresas interessadas em repassar até 3% do ICMS para recolhimento para o projeto intitulado “Fórmula 1 Rio de Janeiro de 2021-2030”. 

Na semana passada, o chefe executivo do Rio Motorsports, o empresário JR Pereira, esteve em Brasília com o presidente da República, Jair Bolsonaro, que é um entusiasta do projeto carioca.

Mais Recentes da CNN