Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Empresa dona do UFC compra WWE e forma gigante de R$ 106 bilhões

    Nova empresa de combate e entretenimento de capital aberto teve acordo anunciado nesta segunda-feira (3)

    Logan Paul em luta contra Seth Rollins na WrestleMania 39, da WWE, na Califórnia, neste sábado (1).
    Logan Paul em luta contra Seth Rollins na WrestleMania 39, da WWE, na Califórnia, neste sábado (1). Unique Nicole/Getty Images

    Jordan Valinskyda CNN

    em Nova York

    A World Wrestling Entertainment (WWE) foi vendida para o grupo Endeavor, empresa controladora do UFC, para formar uma nova empresa de capital aberto de combate e entretenimento.

    O acordo avalia a empresa recém-formada em mais de US$ 21 bilhões – equivalentes à cerca de R$ 106 bilhões.

    O UFC vale US$ 12,1 bilhões e a WWE está avaliada em US$ 9,3 bilhões. Os acionistas da Endeavor deterão 51% da nova companhia, enquanto os acionistas da WWE receberão 49%.

    “Esta é uma rara oportunidade de criar um puro jogo global de esportes e entretenimento ao vivo, construído para onde a indústria está indo”, disse Ariel Emanuel, CEO da Endeavor, em um comunicado. Emanuel, um agente poderoso de Hollywood, será o CEO da nova empresa e manterá seu cargo de executivo-chefe na agência.

    Vince McMahon manterá seu atual título de presidente-executivo da WWE na nova empresa, que ainda não tem nome.

    Ele disse em um comunicado que a nova empresa “estará bem posicionada para maximizar o valor de nossos direitos de mídia combinados”. Ele também disse que a nova empresa poderia se expandir buscando outras fusões e aquisições “para reforçar ainda mais nosso forte conjunto de marcas”.

    Vince McMahon em coletiva de imprensa em 2012.
    Vince McMahon em coletiva de imprensa em 2012. / Michael N. Todaro/Getty Images

    As ações da WWE caíram mais de 5% nas negociações de pré-mercado, enquanto a Endeavor disparou 7%. As empresas esperam economizar de US$ 50 milhões a US$ 100 milhões em custos assim que o negócio for concluído, que deve ser concluído no segundo semestre deste ano. Ele será negociado na Bolsa de Valores de Nova York sob o símbolo “TKO”.

    O conselho de administração da nova empresa terá 11 membros nomeados posteriormente, com seis deles indicados pela Endeavor e os restantes escolhidos pela WWE.

    A Endeavor, que também é dona da maior agência de talentos de Hollywood, William Morris Endeavor (WME), tornou-se a dona absoluta do UFC em 2021.

    As ações da empresa subiram mais de 10% no ano. A receita de sua unidade esportiva, que abriga o UFC, cresceu 20% no ano passado, para US$ 1,3 bilhão, graças em parte ao aumento das taxas de direitos de mídia.

    Final difícil para a independência da WWE

    O acordo anunciado nesta segunda-feira (3) marca o fim da WWE como uma empresa familiar.

    Vince McMahon comprou a empresa de seu pai no início dos anos 1980 e a transformou em um império do entretenimento com vários eventos semanais ao vivo.

    Em 2021, a empresa fechou um acordo com o serviço de streaming Peacock por US$ 1 bilhão para transmitir muitos de seus programas.

    McMahon, o maior acionista da empresa, foi forçado a se aposentar como CEO no ano passado, após um escândalo de suborno e assédio sexual.

    Após sua saída, a WWE divulgou várias despesas que Vince McMahon não havia relatado anteriormente, totalizando US$ 19,6 milhões. Isso obrigou a empresa a revisar suas demonstrações financeiras de 2019, 2020 e 2021.

    Embora muitos dos pagamentos estejam relacionados à investigação da empresa sobre sua suposta má conduta sexual com ex-funcionários, Vince McMahon supostamente fez pagamentos não revelados de US$ 5 milhões à instituição de caridade do ex-presidente Donald Trump, a Fundação Donald J. Trump, em 2007 e 2009, de acordo com Wall Street Journal.

    O WSJ reportou em julho de 2022 que McMahon pagou mais de US$ 12 milhões a quatro mulheres para encobrir “alegações de má conduta sexual e infidelidade”.

    Ele voltou em janeiro como membro do conselho e disse estar explorando “alternativas estratégicas” para seus acionistas, incluindo uma venda.

    A WWE faturou mais de US$ 1,29 bilhão em receita em 2022 e suas ações aumentaram mais de 30% no ano.

    Acompanhe tudo sobre esporte na CNN

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original