Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    “Cristiano Ronaldo tem mais paixão pelo futebol que Neymar”, diz Jorge Jesus

    Treinador português dirige o atacante brasileiro no Al-Hilal, da Arábia Saudita

    Técnico Jorge Jesus orienta Neymar
    Técnico Jorge Jesus orienta Neymar Reprodução/Twitter/Al-Hilal

    Da CNN

    Durante a vitoriosa passagem pelo Flamengo entre junho de 2019 e julho de 2020, o técnico português Jorge Jesus ficou famoso, para além dos títulos, por entrevistas marcantes. Quatro anos após ter deixado a Gávea, o treinador segue sem papas na língua.

    Neste domingo (14), o alvo da sinceridade do ‘Mister’ foi o atacante brasileiro Neymar, com quem trabalha no Al-Hilal, da Arábia Saudita.

    Jesus foi questionado sobre o jogador. Ele até fez elogios, mas não deixou de compará-lo ao craque português Cristiano Ronaldo, que também está no futebol saudita, mas defende o Al-Nassr.

    “Primeiro, não tive sorte com Neymar, nunca tinha trabalhado com Neymar, trabalhamos um mês e meio [até a lesão do brasileiro]. É um jogador fora do normal, fora de série. Portanto, perdemos qualidade, pelo menos ofensivamente. Um menino fácil de lidar, doce, compreensivo”, disse.

    “Agora, vive a vida dele além do futebol da maneira dele, ao contrário do [Cristiano] Ronaldo. Ronaldo tem mais paixão pelo futebol, portanto, conhece a prioridade, Neymar tem mais paixão por outras coisas, coisas que a vida privada oferece para ele. Mas, como jogador é fabuloso, como homem, que estive um mês e meio com ele, me surpreendeu positivamente em tudo”, completou.

    O Al-Hilal vem fazendo boa temporada. Foi vice-campeão da Copa dos Campeões Árabes, lidera o Campeonato Saudita após 19 de 34 rodadas com 53 pontos, sete a mais do que o Al-Nassr e está nas oitavas de final da Liga dos Campeões da Ásia e na semifinal da Copa do Rei Saudita.

    Já Neymar, em outubro, rompeu o ligamento cruzado anterior e o menisco do joelho esquerdo em partida contra o Uruguai, pelas Eliminatórias da Copa. A previsão era de ao menos seis meses parado.

    Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas