Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Croácia é a 12ª seleção a eliminar o Brasil em Copas do Mundo; veja lista

    Única seleção a ter participado de todos os Mundiais e maior campeão da história, Brasil caiu diante de um europeu pela quinta vez seguida

    Mateo Kovacic, Lucas Paquetá durante partida entre Croácia x Brasil, válida pelas quartas de final da Copa do Mundo, realizada no Estádio Education City em Doha, Catar. 09/12/2022
    Mateo Kovacic, Lucas Paquetá durante partida entre Croácia x Brasil, válida pelas quartas de final da Copa do Mundo, realizada no Estádio Education City em Doha, Catar. 09/12/2022 RICHARD CALLIS/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

    Tiago TortellaDanilo Moliternoda CNN em São Paulo

    A vitória nos pênaltis na sexta-feira (9) tornou a Croácia, atual vice-campeã mundial, o 12º país a eliminar a Seleção Brasileira em Copas do Mundo. 

    O Brasil, maior campeão da história das Copas, é o único país a ter participado de todos os Mundiais, que tiveram início em 1930. 

    Desde o último título, em 2002, a Seleção Brasileira foi eliminada quatro vezes nas quartas de final e uma na semifinal, todas as vezes para times europeus. 

    A Croácia se tornou o 12º algoz do Brasil em Copas, incluindo fases eliminatórias e disputas em grupos nas quais a Seleção perdeu a vaga para um rival específico. O recorde é da França, que eliminou o Brasil três vezes. Veja a lista:

    1. Iugoslávia (1930)
    2. Espanha (1934)
    3. Itália (1938 e 1982)
    4. Uruguai (1950)
    5. Hungria (1954 e 1966)
    6. Portugal (1966)
    7. Holanda (1978 e 2010)
    8. França (1986, 1998 e 2006)
    9. Argentina (1978 e 1990)
    10. Alemanha (2014)
    11. Bélgica (2018)
    12. Croácia (2022)

    Todas as eliminações do Brasil em Copas

    1930

    O regulamento da Copa era diferente no início. O Brasil estava em um grupo com três seleções, e apenas uma avançava direto para as semifinais.

    Na campanha em questão, a Seleção perdeu o primeiro jogo para a Iugoslávia por 2 a 1 e venceu a Bolívia por 4 a 0. Porém, como a Iugoslávia venceu o segundo jogo, foi o time que se classificou.

    1934

    Neste ano, não houve fase de grupos. O Brasil começou direto nas oitavas de final, perdendo por 3 a 1 para a Espanha.

    1938

    Em 1938, a Seleção Brasileira conseguiu ficar entre os quatro melhores . Após vencer a Polônia por 6 a 5 nas oitavas de final, o Brasil passou pela Tchecoslováquia em duas partidas nas quartas de final.

    A primeira terminou empatada, e a segunda, em 2 a 1 para o Brasil. Nas semifinais, perdeu de 2 a 1 para a Itália, que seria a campeã.

    1950

    Após um hiato de oito anos por consequência da Segunda Guerra Mundial, a Copa do Mundo retornou em 1950. Esta edição foi realizada no Brasil, mas não traz boas lembranças para o torcedor do país.

    O regulamento foi totalmente reformulado, com uma fase de grupos e um quadrangular final.

    No seu grupo, o Brasil venceu México e Iugoslávia por 4 a 0 e 2 a 0, respectivamente. Também empatou com a Suíça por 1 a 1. No quadrangular final, a Seleção bateu a Suécia por 7 a 1 e a Espanha por 6 a 1.

    O título seria decidido então na partida entre as seleções brasileira e uruguaia.  O jogo foi disputado e se tornou um dos capítulos mais duros na história da Seleção, que ficou conhecido como “Maracanazo”.

    A decisão ocorreu no Maracanã e terminou com vitória de 2 a 1 do Uruguai, de virada.

    1954

    Esta edição foi disputada com uma fase de grupos e um mata-mata que tinha início nas quartas de final.

    O Brasil venceu o México por 5 a 0 e empatou com a Iugoslávia por 1 a 1, sacramentando a classificação.

    Porém, nas quartas de final, sofreu uma derrota para a Hungria por 4 a 2, dando adeus à competição.

    1966

    Após ser bicampeão do mundo nas edições de 1958 e 1962, o Brasil não conseguiu erguer a taça pela terceira vez seguida.

    Na edição de 1966, também nos moldes de fase de grupos e mata-mata iniciando nas quartas, a Seleção amargurou uma eliminação precoce nos grupos após vencer a Bulgária por 2 a 0, mas perder para Hungria e Portugal, ambos os jogos por 3 a 1.

    1974

    Nesta edição, o regulamento foi alterado para duas fases de grupos e uma final.

    Na primeira fase, a seleção brasileira conseguiu a classificação após dois empates por 0 a 0 contra Iugoslávia e Escócia e uma vitória por 3 a 0 contra Zaire.

    Na segunda fase, vitórias contra Argentina e Alemanha Oriental por 2 a 1 e 1 a 0, respectivamente.

    Porém, a derrota contra a Holanda por 2 a 0 sacramentou a eliminação, já que só as vencedoras dos dois grupos finais disputariam a grande decisão. No caso, o time holandês teve campanha superior à brasileira.

    1978

    O roteiro da participação da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1978, na Argentina, foi semelhante àquele de quatro anos antes. O Brasil se classificou na primeira fase após dois empates, diante de Suécia e Espanha, e uma vitória, sobre a Áustria, por 1 a 0.

    Na segunda fase, derrotou o Peru por 3 a 0 e a Polônia por 3 a 1. Ainda empatou com a Argentina, por 0 a 0. No entanto, os argentinos golearam o Peru por 6 a 0 e obtiveram melhor saldo de gols, se classificando para a decisão contra a Holanda – na decisão, a equipe da casa venceu a Holanda por 3 a 1.

    Com isso, o Brasil disputou o terceiro lugar, diante da Itália. A vitória por 2 a 1 garantiu o bronze à seleção.

    1982

    Neste ano, também foram feitas duas fases de grupo, mas foi adicionada uma fase semifinal.

    A seleção brasileira conseguiu vitórias contra União Soviética, por 2 a 1; Escócia, por 4 a 1; e Nova Zelândia, por 4 a 0, passando em primeiro lugar no seu grupo.

    Na segunda fase, em um grupo com Itália e Argentina, a Seleção venceu os argentinos por 3 a 1, mas foi derrotada pelos italianos por 3 a 2. Com o segundo lugar do grupo, acabou eliminada.

    1986

    Nesta edição, foi realizada uma fase de grupos com quatro times cada. Além disso, foi incorporada também a fase de oitavas de final.

    Nos grupos, o Brasil venceu a Espanha por 1 a 0, a Argélia por 1 a 0 e a Irlanda do Norte por 3 a 0.

    Nas oitavas, passou pela Polônia pelo placar de 4 a 0, mas foi eliminada pela França nas quartas de final. O jogo terminou empatado em 1 a 1, e os franceses venceram por 4 a 3 nos pênaltis.

    1990

    Em 1990, o Brasil conseguiu a primeira colocação do seu grupo ao vencer a Suécia por 2 a 1, a Costa Rica por 1 a 0 e a Escócia por 1 a 0.

    Porém, amargou a dura eliminação ao perder da Argentina de Diego Maradona por 1 a 0 nas oitavas de final, com gol de Caniggia.

    1998

    Após vencer a Copa de 1994, o Brasil teve a chance de conseguir o pentacampeonato.

    Na fase de grupos, a equipe de Zagallo ficou em primeiro lugar, com vitórias sobre Escócia por 2 a 1 e Marrocos por 3 a 0 e uma derrota para a Noruega por 2 a 1.

    Nas oitavas de final, venceu o Chile pelo placar de 4 a 1. Nas quartas, avançou após bater a Dinamarca por 4 a 2. Na semi, após empate no tempo normal em 1 a 1 contra a Holanda, venceu nos pênaltis por 4 a 3.

    Porém, na grande final, perdeu por 3 a 0 para a França de Zinedine Zidane, que jogava em casa.

    2006

    A bola na trave em 1998 virou o pentacampeonato em 2002. Mas o bom resultado não se repetiu em 2006.

    Na fase de grupos, a seleção brasileira teve 100% de aproveitamento, vencendo Austrália, Croácia e Japão pelos placares de 1 a 0, 2 a 0 e 4 a 1, respectivamente.

    Nas oitavas de final, venceu Gana por 3 a 0 e, nas quartas de final, reencontrou os franceses. Porém, melhor para os europeus mais uma vez: vitória da França por 1 a 0.

    2010

    Uma das copas recentes mais relembradas, a Copa da África do Sul foi mais uma em que a Seleção chegou até as quartas de final.

    Nos grupos, o Brasil bateu a Coreia do Norte por 2 a 1, a Costa do Marfim por 3 a 1 e empatou com Portugal em 0 a 0. Nas oitavas de final, venceu o Chile por 3 a 0.

    Porém, nas quartas de final, a Seleção foi superada pela Holanda por 2 a 1 em um jogo tenso e marcado pela expulsão de Felipe Melo.

    2014

    Talvez o mais triste episódio da seleção brasileira foi escrita na edição de 2014. Após 64 anos, a Copa do Mundo voltava a ser realizada no Brasil.

    A fase de grupos da Seleção foi relativamente boa, com vitórias sobre Croácia e Camarões por 3 a 1 e 4 a 1, respectivamente, além de um empate em 0 a 0 contra o México.

    Nas oitavas de final, um jogo de muito nervosismo contra o Chile. Depois de empate em 1 a 1 no tempo regulamentar, os brasileiros avançaram nos pênaltis com o placar de 3 a 2.

    Uma vitória contra a Colômbia por 2 a 1 nas quartas de final reacendeu a esperança do hexa. O jogo, no entanto, terminou com a contusão de Neymar, que perderia o restante da Copa.

    Mas o golpe veio nas semifinais, contra a Alemanha. Em uma partida que deu tudo errado para o Brasil e que é uma sombra para a seleção até hoje, o time brasileiro sofreu a sonora goleada por 7 a 1.

    A equipe ainda perdeu a decisão do terceiro lugar para a Holanda por 3 a 0, encerrando sua campanha em casa com dez gols sofridos em apenas dois jogos.

    2018

    A Seleção Brasileira chegou ao Mundial de 2018 com perspectivas positivas, apesar de o técnico Tite ter assumido o trabalho em meio ao ciclo de Copa do Mundo (2016). A equipe liderou as Eliminatórias da América do Sul com dez pontos de vantagem para o segundo colocado, o Uruguai.

    Os comandados de Tite enfrentaram na fase de grupos da Copa a Sérvia, a Suíça e a Costa Rica. As vitórias sobre Sérvia e Costa Rica, ambas por 2 a 0, e o empate por 1 a 1 diante da Suíça deram a liderança do grupo ao Brasil.

    Nas oitavas de final, a Seleção enfrentou o México, que havia se classificado em segundo no seu grupo. Gols de Neymar e Firmino levaram o Brasil às quartas de final daquele Mundial.

    O adversário seria então a Bélgica, que contava com uma geração de grande potencial. Nomes como Romelu Lukaku, Kevin De Bruyne e Eden Hazard faziam parte daquela equipe.

    O Brasil saiu atrás no placar após o volante Fernandinho marcar contra. De Bruyne ampliou para os belgas ainda no primeiro tempo. O meio-campista Renato Augusto entrou na segunda etapa, marcou o primeiro tento brasileiro e teve chance de igualar o placar.

    Porém, o 2 a 1 persistiu no placar, e a Bélgica acabou tirando a Seleção da Copa.

    2022

    A Seleção Brasileira chegou à Copa do Mundo do Catar como uma das favoritas a conquistar o troféu. Na fase de grupos, derrotou enfrentou Sérvia, Suíça — que havia encontrado em 2018 — e Camarões.

    O Brasil abriu sua participação derrotando a Sérvia, por 2 a 0, e a Suíça, por 1 a 0. Após despachar os europeus, Tite poupou seus titulares diante de Camarões e acabou sofrendo uma derrota por 1 a 0.

    Nas oitavas de final, a seleção enfrentou a Coreia do Sul. Com grande atuação coletiva, os comandados de Tite derrotaram a equipe asiática por 4 a 1.

    A vitória reforçou a posição de favorita da Seleção Brasileira para seu confronto de quartas de final, diante da Croácia. Após empate no tempo regulamentar, por 0 a 0, e na prorrogação, por 1 a 1, o Brasil acabou superado nos pênaltis por 4 a 2.