Moda dos anos 90: uma breve história do que vestimos

Década do choque de tendências volta aos guarda-roupas atuais

Marianna Cerini, CNN

Ouvir notícia

Foi difícil definir a moda dos anos 90. Um choque de tendências implorava por nossa atenção, ao mesmo tempo em que itens tão discretos quanto marcantes ainda fazem parte do nosso guarda-roupas: vestidos tipo slip, botas Doc Martens, gargantilhas e tops, por exemplo.

Enquanto a década de 1980 é lembrada pelas ombreiras, jaquetas bufantes, os cabelos armados de com mullet e uma obsessão por roupas de grife, o início dos anos 90 foi decididamente de baixa manutenção, por assim dizer.

O vestido tipo slip, uma das roupas mais duradouras da década, é talvez o exemplo mais flagrante disso. Alças fininhas mal seguravam os vestidos de seda, trocando os babados pesados dos anos 80 pela facilidade minimalista e leve.

Nos finais de semana, bermuda ciclista, gola alta, jeans de cintura alta e camisetas largas e com logotipo discreto eram usados sem pudor. Os cabelos eram presos de forma displicente em xuxinhas (ou scrunchies) ou cortados em camadas, sem estilo.

Os anos 90 também deram origem às supermodelos, como Linda Evangelista, que resumiu os excessos da indústria no início da década, dizendo que não saía da cama “por menos de US$ 10 mil por dia”.

Linda Evangelista se juntou a Naomi Campbell, Cindy Crawford e Christy Turlington para o final da coleção de outono de 1991 da Versace. Elas andaram de braços dados pela pista, sincronizando a letra com o hit “Freedom! ‘90”, de George Michael — o videoclipe que todas estrelaram.

Foi um momento bem típico do início dos anos 90.

Desfile Freedom! 90 para Versace
As modelos Linda Evangelista, Cindy Crawford, Naomi Campbell e Christy Turlington no desfile Freedom! ’90 para Versace
Foto: Reprodução/YouTube

Do glamour ao grunge

No meio da década, no entanto, as glamazons deram lugar a um tipo de beleza mais identificável. Surgiu uma nova feminilidade meio largada, melhor personificada por Kate Moss.

O grunge também assumiu o comando e, em 1993, Marc Jacobs, então com 29 anos, colocou peças não estruturadas na passarela em um desfile da Perry Ellis que misturava vestidos da vovó, botinas Doc Martens e camisas xadrez.

Ele foi muito criticado e, por fim, demitido da grife por isso. Mas a coleção se tornou um dos momentos mais importantes da moda na década, sem mencionar sua carreira.

A coleção de primavera de 1994 da Chanel também olhou para a rua, vestindo modelos de patins e bermudas largas adornadas com correntes de rapper, enquanto a Calvin Klein apresentou peças em camadas de lingerie que eram, como o estilista disse à Vogue, relacionadas ao “pessoal, ficar e ser sozinho, e não exibir o que você tem nas costas”.

Com o passar da década, a moda passou de funcional para decisivamente feminina. Em seu primeiro desfile para a Gucci, Tom Ford reinventou a marca italiana, exibindo calças de veludo e camisas de cetim sexy endossadas por Madonna no MTV Video Music Awards de 1995. No final dos anos 90, Alexander McQueen apostou na provocação explícita com uma série de desfiles experimentais, dos quais o La Poupée (A Boneca) da coleção de primavera de 1997 foi talvez o mais selvagem, apresentando modelos usando várias peças de contenção de metal.

Enquanto isso, para uma geração de adolescentes criados na MTV e na vida fictícia de colegas adolescentes (assistindo Barrados no Baile e Um Maluco no Pedaço, para citar só duas séries), a moda passou a ser definida como uma mistura de roupas formais (casacos retos do tipo duster, minissaias xadrez, botas até o joelho) e cardigãs desleixados, jeans rasgados e bonés com aba virada para trás.

O vocalista do Nirvana Kurt Cobain
O vocalista do Nirvana, Kurt Cobain, durante apresentação do MTV Unplugged
Foto: Reprodução/MTV

Tênis Keds e Skechers eram legais. Se você gostava de rap, Timberland era sua marca favorita nos pés. O Reebok Pumps era o máximo em tênis e as botas de exército foram a marca registrada dos jovens apaixonados por Kurt Cobain.

Por volta da metade dos anos 90, os agasalhos começaram a aparecer em todos os lugares (e continuariam se saindo muito bem nos anos 2000, na forma de Juicy Couture), antes mesmo da moda de ser atlético estar em voga.

As “it girls” e os caras largados

Os protagonistas do seriado Friends
Os protagonistas do seriado Friends
Foto: NBC/Divulgação

Assim como as reprises de Friends, a lista de celebridades que definiram o estilo dos anos 90 (e seus melhores momentos da moda) é aparentemente interminável.

A sitcom propriamente dita dá exemplos fundamentais de moda de meados e final dos anos 90, com a Rachel de Jennifer Aniston e seu famoso corte de cabelo liderando o grupo. Sarah Jessica Parker, dentro e fora de Sex and the City, da HBO, Alicia Silverstone, como a popular garota rica Cher Horowitz em Patricinhas de Beverly Hills, Naomi Campbell e Tyra Banks também ajudaram a estabelecer nossos padrões de estilo.

Enquanto isso, os homens eram meditativos — lembre-se de Jared Leto, Brad Pitt, Johnny Depp — e com visual desgrenhado. Eles usavam roupas casuais, com uma propensão para jaquetas de couro, camisetas brancas e alfaiataria mínima.

Ao longo da década, todo mundo já havia defendido pelo menos alguma vez a elegância fácil, usando blazers e coletes trespassados, ou talvez tenha investido em looks coordenados da cabeça aos pés, o que foi popularizado por alguns casais (Gwyneth e Brad) e girls groups (TLC e Destiny’s Child).

À medida que a década terminava, a moda de celebridades deu uma guinada para a ousadia: as bainhas ficaram mais curtas, as roupas mais chamativas (Lil ‘Kim adotou e virou sinônimo da tendência) e as calças se tornaram cada vez mais baixas. Os anos 2000 estavam já virando a esquina, prontos para ditar seu próprio estilo.

Anos 90 de volta, viva!

A cantora Dua Lipa
A cantora Dua Lipa
Foto: Reprodução/Instagram @dualipa

Hoje, os anos 90 voltaram com tudo. A propensão da moda para olhar para trás transformou a década em uma de suas fontes mais proveitosas de inspiração, renovando nossa admiração pelas camisetas Champion, as Birkenstocks e as flanelas do Nirvana.

Nas passarelas, marcas como Saint Laurent, Off-White, Gucci e Prabal Gurung redescobriram as maiores tendências da época, como o grunge, o veludo, o vestido tipo slip em tons pastéis e a bermuda ciclista. A grife Vetements é pura estética dos anos 90.

Mas o revival não parou nas roupas. As supermodelos dos anos 90 estão novamente comandando as passarelas, de Naomi fechando Saint Laurent na primavera de 2020 em setembro passado a Christy Turlington desfilando para Marc Jacobs no outono de 2019.

No ano passado, Justin Bieber e Hailey Baldwin fizeram um ótimo trabalho em recriar o clima sexy daqueles icônicos anúncios de Calvin Klein. Até mesmo os “Friends” estão planejando uma reunião.

Por alguma razão, sentimos uma nostalgia coletiva que continua nos atraindo de volta.

Talvez seja porque o estilo dos anos 90 tinha tudo a ver com vestir algo divertido e fácil. Ou talvez porque houvesse algo para todos: tecidos transparentes e cetim demais, tops, shorts cargo, calças capri, pequenos óculos de sol e jeans duplo.

No momento, a simplicidade é algo muito atraente.

Tópicos

Mais Recentes da CNN