Alemanha aumenta ajuda humanitária à Ucrânia para evitar fome

Na mesma entrevista coletiva, após reunião com líderes do G7 e da Otan, o chanceler alertou o governo russo contra o uso de armas químicas e biológicas

Chanceler da Alemanha, Olaf Scholz
Chanceler da Alemanha, Olaf Scholz 22/02/2022 John Macdougall/ Pool via REUTERS

Zuzanna SzymanskaSabine Sieboldda Reuters

Em Berlim

Ouvir notícia

A Alemanha irá aumentar a ajuda humanitária destinada à Ucrânia e aos estados vizinhos para mais de 370 milhões de euros (cerca de R$ 1,9 bilhão) e oferecerá mais 430 milhões de euros (cerca de R$ 2,2 bilhões) para combater uma potencial crise de fome, disse o chanceler alemão Olaf Scholz na quinta-feira (24).

Ele pediu que outros países oferecessem mais ajuda durante uma coletiva de imprensa após um encontro com outros líderes do G7 e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

“A guerra da Rússia está impactando dramaticamente o suprimento de comida muito além da Ucrânia. E é por isso que devemos fazer tudo para prevenir a fome”, disse Scholz. “A Europa está apoiando muito, mas precisamos de um esforço global”.

Na mesma entrevista, o chanceler alertou o governo russo contra o uso de armas químicas e biológicas. “Se a Rússia estiver preparando uma operação de bandeira falsa para usar esses tipos de armas [químicas e biológicas] na Ucrânia, isso seria uma violação de todas as regras, tratados e convenções”, ele disse a jornalistas em Bruxelas.

“É nossa preocupação não somente pontuar isso, mas também alertar nas conversas que tivermos: ‘Não faça isso'”, acrescentou.

Mais Recentes da CNN