Alemanha deve impor restrições mais duras para não vacinados

Chanceler Angela Merkel e provável sucessor Olaf Scholz estão mantendo conversas com líderes regionais sobre combate à quarta onda da pandemia no país

Olaf Scholz ao lado da chanceler alemã, Angela Merkel, em Berlim.
Olaf Scholz ao lado da chanceler alemã, Angela Merkel, em Berlim. Reuters

Nadine Schmidtda CNN

Ouvir notícia

Os cidadãos da Alemanha podem enfrentar restrições da Covid-19 mais severas, enquanto o país luta para conter uma feroz quarta onda da pandemia.

A chanceler de saída Angela Merkel e seu provável sucessor, Olaf Scholz, estão mantendo conversas sobre a crise com líderes regionais, nesta quinta-feira (02), para traçar um caminho a ser seguido, disse um comunicado do gabinete da chanceler.

Provavelmente chegarão a um acordo sobre restrições mais severas – muitas das quais são destinadas às pessoas não vacinadas contra o coronavírus. O objetivo é reduzir as taxas de infecção e aliviar a pressão nos leitos de terapia intensiva.

Entre as várias medidas que estão sendo consideradas estão o fechamento de bares e clubes, e a limitação de grandes eventos. Algumas regiões duramente atingidas na Alemanha já cancelaram o comércio de Natal e barraram pessoas não vacinadas de frequentarem espaços públicos como restaurantes, academias e instalações de lazer.

Os líderes da Alemanha também devem discutir a vacinação obrigatória. No início desta semana, Scholz sinalizou seu apoio às doses obrigatórias. A introdução de vacinas obrigatórias teria de ser aprovada pelo parlamento alemão.

Hospitais ficando cheios

Nesta quarta-feira (01), a Alemanha registrou 446 mortes relacionadas à Covid-19 – o maior número de mortes diárias em nove meses. Muitos hospitais estão lutando para lidar com o crescente número de pacientes em leitos de terapia intensiva (UTI) e médicos alemães alertaram que a ocupação de leitos de terapia intensiva pode em breve exceder a observada durante o pico do inverno passado.

A Associação Interdisciplinar Alemã para Terapia Intensiva e Emergência (Divi), em um comunicado na quarta-feira, alertou que poderia haver cerca de 6 mil pacientes com Covid-19 em terapia intensiva até o Natal – independentemente de quaisquer medidas implementadas pelos líderes da Alemanha.

A Alemanha relatou 73.209 novos casos nas últimas 24 horas, de acordo com o Instituto Robert Koch (RKI), o centro de controle de doenças do país.

Mais de 102 mil pessoas morreram por causa do coronavírus na Alemanha, disse o RKI. O país relatou 388 novas mortes relacionadas ao Covid-19 de quarta para quinta-feira.

Quase 70% da população da Alemanha está totalmente vacinada, de acordo com o RKI.

* Matéria traduzida. Leia a original aqui.

Nova onda de Covid-19 na Europa: Romênia enfrenta situação grave

Mais Recentes da CNN