Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Aliado de Putin diz que Ucrânia faz parte da Rússia e descarta negociações com Zelensky

    Declarações foram feitas por Dmitry Medvedev, vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia e personalidade próxima do presidente

    Dmitry Medvedev, vice-chefe do conselho consultivo de segurança de Putin
    Dmitry Medvedev, vice-chefe do conselho consultivo de segurança de Putin Sputnik/Yulia Zyryanova/Pool via Reuters (25.jan.22)

    Da Reuters

    Dmitry Medvedev, vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia e aliado do presidente Vladimir Putin, disse, nesta segunda-feira (4), que a Ucrânia faz parte da Rússia e descartou negociações de paz com a atual liderança ucraniana.

    Em um discurso belicoso no sul da Rússia, Medvedev disse que a Rússia iria levar a cabo o que chama de “operação militar especial” até que o outro lado se renda.

    Ele disse que o que chamou de partes históricas da Rússia deveria “voltar para casa”.

    Medvedev falava diante de um mapa da Ucrânia que mostrava o país como um território muito menor, sem litoral, espremido contra a Polônia, com a Rússia no controle total da sua costa leste, sul e do Mar Negro.

    “Um dos ex-líderes da Ucrânia disse em algum momento que a Ucrânia não é a Rússia”, disse Medvedev.

    “Esse conceito precisa desaparecer para sempre. A Ucrânia é definitivamente a Rússia”, disse ele, sob aplausos da plateia.

    Ele descartou negociações de paz com a atual liderança ucraniana liderada pelo presidente Volodymyr Zelensky e disse que qualquer futuro governo ucraniano que quisesse negociações precisaria reconhecer o que ele chamou de nova realidade no terreno.

    Comentando as relações com o Ocidente, Medvedev, que acusou as forças especiais dos EUA e os conselheiros militares de travarem uma guerra contra a Rússia, disse que os laços entre Moscou e Washington estão piores do que durante a crise dos mísseis cubanos de 1962.