Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Alvos ucranianos foram atingidos por mais de 80 ataques, diz Reino Unido

    Órgão britânico condenou a "nova violação da soberania ucraniana pela Rússia" no curto comunicado na rede social

    Niamh Kennedyda CNN

    Londres

    Ouvir notícia

    O Ministério da Defesa do Reino Unido informou nesta quinta-feira (24), via Twitter, que a Rússia realizou “mais de 80 ataques” contra alvos no território ucraniano. O órgão britânico condenou a “nova violação da soberania ucraniana pela Rússia” no curto comunicado na rede social.

    “As forças terrestres russas estão avançando através da fronteira em pelo menos três eixos do norte e nordeste, leste e sul da Crimeia”, acrescentou o Ministério da Defesa, via Twitter.

    A Ucrânia começou a ser atacada pela Rússia nas primeiras horas desta quinta, o que gerou reações de líderes mundiais e da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte). Explosões e sirenes foram ouvidas diversas cidades, incluindo a capital, Kiev, e em áreas separatistas do leste ucraniano. Assista ao vivo a cobertura especial da CNN.

    É o maior ataque de um Estado contra outro na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

    Autoridades da Ucrânia informaram que pelo menos 50 soldados russos morreram e seis aviões também russos teriam sido destruídos. Além disso, informações dão conta de que ao menos 40 soldados ucranianos também teriam morrido. Porém, não há confirmação oficial do número de mortes até o momento.

    Na manhã desta quinta, longas filas se formaram nas principais avenidas de Kiev com moradores tentando deixar a região. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, convocou a população para defender o país e disse que “cidadãos podem utilizar armas para defender território”.

    Em seu pronunciamento antes do ataque, Putin justificou a ação ao afirmar que a Rússia não poderia “tolerar ameaças da Ucrânia”. Putin recomendou aos soldados ucranianos que “larguem suas armas e voltem para casa”. O líder russo afirmou ainda que não aceitará nenhum tipo de interferência estrangeira.

    Entenda o ataque

    Após semanas de tensão, a Rússia atacou a Ucrânia na madrugada desta quinta. Uma operação militar nas regiões separatistas do leste ucraniano, explosões e sirenes foram ouvidas em várias cidades do país.

    Autoridades da Ucrânia informaram que dezenas de pessoas morreram e seis aviões russos teriam sido destruídos. Na manhã desta quinta, longas filas se formaram nas principais avenidas de Kiev com moradores tentando deixar a região. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, convocou a população para defender o país e disse que “cidadãos podem utilizar armas para defender território”.

    Em seu pronunciamento antes do ataque, Putin justificou a ação ao afirmar que a Rússia não poderia “tolerar ameaças da Ucrânia”. Putin recomendou aos soldados ucranianos que “larguem suas armas e voltem para casa”. O líder russo afirmou ainda que não aceitará nenhum tipo de interferência estrangeira.

    Mais Recentes da CNN