Antártica oficializa registro de temperatura recorde, com 18,3º C

Marca foi atingida em 6 de fevereiro de 2020 e confirmada nesta quinta-feira (1º) pela Organização Meteorológica Mundial

Estação Antártica Comandante Ferraz, da Marinha do Brasil
Estação Antártica Comandante Ferraz, da Marinha do Brasil Foto: Divulgação - 26.ago.2019 / Marinha do Brasil

Rafaela Lara, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A Antártica atingiu recorde de temperatura em 6 de fevereiro de 2020, com 18,3ºC, segundo a Organização Meteorológica Mundial (WMO, na sigla em inglês) informou nesta quinta-feira (1º). 

O recorde, oficializado apenas nesta quinta, foi registrado na estação científica argentina de Esperanza e supera a temperatura registrada no mesmo local da península Antártica em 24 de março de 2015, quando os termômetros marcaram 17,5ºC, informou a WMO.

A WMO, no entanto, não homologou uma medição temperatura ainda mais alta registrada em uma estação automática brasileira nas proximidades da ilha Seymour. Nessa estação, a temperatura de 20,75ºC foi registrada em 9 de fevereiro de 2020.

“A verificação desse registro de temperatura máxima é importante porque nos ajuda a construir uma imagem do tempo e do clima em uma das fronteiras finais da Terra. Ainda mais do que o Ártico, a Antártica é mal coberta em termos de observações e previsões meteorológicas e climáticas contínuas e sustentadas, embora ambos desempenhem um papel importante na condução dos padrões climáticos e oceânicos e no aumento do nível do mar ”, disse o secretário-geral da WMO, Prof. Petteri Taalas, em comunicado.

A Antártica (na ponta noroeste próxima à América do Sul) está entre as regiões de aquecimento mais rápido do planeta – são quase 3ºC nos últimos 50 anos. Segundo Taalas, este novo registro de temperatura é consistente com a mudança climática observada de maneira geral. “A WMO está trabalhando em parceria com o Sistema do Tratado da Antártica para ajudar a conservar este continente intocado”, disse Taalas.

Um comitê da WMO conduz uma extensa revisão da situação do clima na península Antártica no momento dos registros relatados. O comitê então constatou um grande sistema de alta pressão sobre a área e criou ventos föhn – que são correntes descendentes produzindo um aquecimento superficial significativo na região. O fenômeno resultou no aquecimento local na Estação Esperanza e na Ilha Seymour. 

Avaliações anteriores feitas pelos especialistas demonstraram que tais condições meteorológicas são propícias para a produção de cenários de temperatura recorde.

 O comitê examinou as configurações instrumentais das duas observações – a confirmada e a descartada. O exame dos dados e metadados da estação de observação Esperanza, operada pelo serviço meteorológico nacional da Argentina, não revelou grandes preocupações.

focas; antártica
Focas na Antártica
Foto: Ozge Elif Kizil / GettyImages

No entanto, a análise detalhada dos dados e metadados da estação de monitoramento na Ilha Seymour, operada por uma equipe de pesquisa de ciência polar brasileira, indicou que um escudo de radiação improvisado levou a um erro de polarização térmica considerável para o sensor de temperatura.

Os detalhes completos da avaliação foram publicados no boletim científico da Sociedade Meteorológica Americana nesta quinta-feira (1º). 

Mais Recentes da CNN