Basílica de São Pedro passa por ritual de purificação após invasão de homem nu

Na quinta-feira (1º), um polonês tirou a roupa e subiu no altar pouco antes do fechamento do local em protesto contra a guerra na Ucrânia

da Reuters

Um rito especial de purificação foi realizado no principal altar da Basílica de São Pedro neste sábado, depois de o local ter sido profanado por um homem que ficou nu para protestar contra a guerra na Ucrânia.

O serviço de oração, conhecido como rito penitencial e exigido pela lei canônica, foi conduzido pelo arcipreste da basílica, o cardeal Mauro Gambetti.

Na quinta-feira (1º), um polonês tirou a roupa e subiu no altar pouco antes do fechamento da basílica. Ele tinha uma inscrição pintada nas costas: “Salve as crianças da Ucrânia”.

Os guardas do Vaticano o entregaram à polícia italiana, que o deteve e ordenou que fosse expulso da Itália.

No serviço de oração, em que o altar usado pelo papa Francisco foi abençoado com água benta, Gambetti disse que o homem cometeu um gesto pecaminoso e “impróprio, verdadeiramente lamentável” para chamar a atenção para as vítimas da guerra.

Uma fonte do Vaticano disse no dia do incidente que o homem também tinha cortes auto-infligidos em seu corpo com as unhas. Ele não foi identificado, mas pelas fotos tiradas por turistas e postadas nas redes sociais, ele parecia ter entre 20 e 30 anos.