Boris Johnson planeja fim do lockdown, mas reforça que a ‘pandemia não acabou’

86% dos adultos já receberam uma primeira dose da vacina e 64% as duas doses até domingo, segundo dados do governo britânico

Paul Sandle e Alistair Smout, da Reuters, em Londres

Ouvir notícia

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, delineará nesta segunda-feira (5) os planos da última etapa do relaxamento do lockdown inglês da Covid-19, incluindo diretrizes sobre distanciamento social, uso de máscaras e trabalho remoto.

Depois de impor as restrições mais duras do Reino Unido fora de tempos de guerra para combater o novo coronavírus, Johnson está se preparando para suspender a maioria delas na Inglaterra no dia 19 de julho, e a decisão final deve ser tomada uma semana antes.

Dados indicam que os casos continuarão a subir enquanto as restrições são descartadas, disse o governo, mas o elo entre internações hospitalares e mortes perde força graças a um programa de vacinação rápido.

Johnson prevê que as pessoas aprenderão a conviver com a Covid como já fazem com a gripe, o que significa que as hospitalizações, os casos graves de doença e as mortes continuarão, mas em um nível muito inferior àquele visto antes da vacinação em larga escala.

“À medida que aprendemos a conviver com este vírus, precisamos todos continuar a lidar cuidadosamente com os riscos da Covid e usar o discernimento ao seguir com nossas vidas”, disse Johnson em um comunicado divulgado por seu gabinete.

“Mas preciso enfatizar que a pandemia não acabou”.

O Reino Unido tem o sétimo maior número global de mortes de Covid-19, e Johnson é criticado pelas decisões relativas ao momento de cada um dos três lockdowns ingleses – mas 86% dos adultos já receberam uma primeira dose da vacina e 64% as duas doses até domingo, segundo dados do governo.

Premiê do Reino Unido Boris Johnson em Bruxelas
Premiê do Reino Unido, Boris Johnson
Foto: Kenzo Tribouillard/Pool via REUTERS

Mais Recentes da CNN