Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Cazaquistão anuncia a sua própria vacina contra a Covid-19

    Todas as 222 pessoas que participaram das duas primeiras etapas desenvolveram imunidade contra a Covid-19, sem efeitos colaterais, diz desenvolvedor local

    Profissional de saúde prepara dose de vacina contra Covid-19
    Profissional de saúde prepara dose de vacina contra Covid-19 Foto: Kai Pfaffenbach/Reuters

    Pavel Mikheyev, da Reuters

    Ouvir notícia

     O Cazaquistão anunciou nesta terça-feira (27) o lançamento de uma vacina desenvolvida no país contra a Covid-19, que será utilizada para vacinação em massa, em locais como shoppings.

    Cerca de um milhão de pessoas, entre 19 milhões de habitantes da antiga república soviética, já receberam a vacina russa Sputnik V, que o Cazaquistão tanto importa quanto produz localmente.

    O fundo soberano do país, localizado na ásia central, também encomendou um milhão de doses da vacina da farmacêutica chinesa Sinopharm. Nesta semana, no entanto, o país exportador de petróleo tornou disponível para o público geral, disse o ministro da Saúde, Alexei Tsoi, recebeu uma injeção em frente à imprensa.

    Como a Sputnik V, a vacina QazVac é aplicada em duas doses com um intervalo de três semanas entre elas. QazVac está atualmente na fase 3 de testes, que devem ser encerradas em julho.

    Todas as 222 pessoas que participaram das duas primeiras etapas desenvolveram imunidade contra a Covid-19, sem efeitos colaterais expressivos registrados, segundo o desenvolvedor cazaque, o Instituto de Pesquisas Biológicas para Problemas de Saúde.

    No Mega Park, um dos maiores shoppings em Almaty, maior cidade do Cazaquistão, a QazVac era a única opção disponível nesta terça-feira (27). Maior parte das pessoas aguardando na fila por uma vacina disse que a marca do imunizante não importava para elas.

    “Não chegamos a tempo da Sputnik, mas eu não acho que exista nenhuma diferença entre a Sputnik e a QazVac”, disse que uma jovem que informou apenas o seu primeiro nome, Madina. “Nós planejamos viajar para a Geórgia e estamos tomando a vacina para não ficarmos doentes lá”, completou.

    Autoridades afirmaram que o desenvolvimento doméstico de uma vacina colocou o Cazaquistão no clube de elite de nações avançadas em farmácia, com o conhecimento para ampla produção. Também disseram que estão discutindo o envase do imunizante na Turquia.

    Cazaquistão registrou mais de 360 mil casos de Covid-19, com 4.381 mortes desde o início da pandemia no começo do ano passado.

    Mais Recentes da CNN