Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Chefe da Otan diz que arsenal nuclear está sendo adaptado a ameaças de segurança

    Stoltenberg descreveu uma crescente atividade da Rússia em torno de suas capacidades nucleares

    O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, em coletiva de imprensa em Budapeste, Hungria
    O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, em coletiva de imprensa em Budapeste, Hungria 12/06/2024REUTERS/Marton Monus

    Sabine Sieboldda Reuters Bruxelas

    O chefe da Otan, Jens Stoltenberg, destacou, nesta quarta-feira (12), os esforços da aliança para adaptar suas capacidades às atuais ameaças de segurança, em uma referência ao arsenal nuclear do ocidente.

    Stoltenberg ainda mencionou exercícios e retórica nucleares mais recentes da Rússia.

    O Secretário-geral da Otan disse a jornalistas, antes de uma reunião de Ministros da Defesa da aliança em Bruxelas, que incluirá um encontro do grupo de planejamento nuclear e que as armas nucleares da aliança são a “garantia máxima de segurança” e meios para preservar a paz.

    Embora tenha conhecimento que os Estados Unidos posicionaram bombas nucleares em várias localizações da Europa, a Otan raramente fala publicamente sobre o assunto.

    Ao discutir o que o chefe da aliança chamou de “adaptação em andamento” do arsenal nuclear da Otan, Stoltenberg afirmou que a Holanda declarou pela primeira vez, em junho, que seus jatos F-35 estão prontos para transportar armas nucleares.

    O chefe da Otan ainda disse que os EUA estão modernizando suas armas nucleares na Europa.

    Stoltenberg descreveu uma crescente atividade da Rússia em torno de suas capacidades nucleares.

    “O que vimos nos últimos anos e meses é uma retórica nuclear perigosa do lado russo. Nós também vimos mais exercícios nucleares da Rússia”, disse.

    Na terça-feira (12), a Rússia afirmou que suas tropas haviam começado um segundo estágio de exercícios para praticar o posicionamento de armas nucleares táticas, ao lado de tropas da Belarus, após o que Moscou considerou ameaças das potências ocidentais.

    Desde que enviou milhares de soldados à Ucrânia em fevereiro de 2022, o presidente russo, Vladimir Putin, afirmou várias vezes que Moscou pode usar armas nucleares em situações extremas para se defender.

    A Rússia acusa os EUA e seus aliados europeus de empurrarem o mundo à beira do confronto nuclear com o repasse de bilhões de dólares em armas à Ucrânia, algumas delas sendo usadas contra território russo.

    Stoltenberg também mencionou a modernização das armas nucleares da China, acrescentando que há expectativa de que Pequim fortaleça a quantidade de mísseis nucleares em alguns anos, muitos deles com a capacidade de alcançar territórios da Otan.