Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    China diz que trabalhará com a Rússia para negociar a paz entre Israel e o Hamas

    Enviado especial da China ao Oriente Médio disse que trabalhará para resolver a questão palestina o mais rápido possível

    Akanksha Sharmada CNN

    A China está pronta para trabalhar com a Rússia “para desempenhar um papel positivo” na retomada das conversações de paz entre Israel e o grupo radical islâmico Hamas, conforme afirmou o enviado especial da China para a questão do Oriente Médio, Zhai Jun, nesta sexta-feira (20).

    A fala veio após uma reunião com seu homólogo russo em Doha, no Catar, na quinta-feira (19). Zhai acrescentou que Pequim está “de coração partido pelo grande número de vítimas civis” no conflito.

    “A China e a Rússia partilham a mesma posição sobre a questão da Palestina, e a China está pronta para manter a comunicação e a coordenação com a Federação Russa, a fim de arrefecer a situação o mais rapidamente possível”, disse Zhai, segundo a mídia estatal chinesa CCTV.

    A China atribuiu o conflito ao “fato de que os direitos nacionais legítimos do povo palestino não foram garantidos”, informou a CCTV, citando Zhai.

    Ele também disse que a China está pronta para trabalhar com a Rússia “para desempenhar um papel positivo” na retomada das conversações de paz entre os dois lados, acrescentando que Pequim está “de coração partido pelo grande número de vítimas civis” no conflito.

    “A Federação Russa está pronta para trabalhar com a China para promover um cessar-fogo rápido e parar os combates entre palestinos e israelenses e para criar condições para um rápido retorno ao caminho certo na questão palestina”, disse seu homólogo russo, Mikhail Bogdanov, de acordo com para CFTV.

    Zhai também se reuniu com o ministro de Estado do Catar, Mohammed Al-Khulaifi, na quinta-feira em Doha e discutiu o conflito “crítico” entre Israel e Hamas, informou a CCTV.

    Pequim está “de coração partido” pela “grave deterioração da situação humanitária causada pelo conflito”, disse Zhai, apelando a “todas as partes envolvidas que permaneçam calmas e exerçam moderação”, segundo a CCTV.

    “O Catar tem uma influência importante na questão palestina”, disse Zhai, acrescentando que a China está “disposta a manter a comunicação e a coordenação com o Catar para desempenhar um papel construtivo no alívio da atual situação tensa”.

    A China está “em processo de comunicação intensa com as partes relevantes da comunidade internacional, a fim de promover um cessar-fogo e o fim dos combates”, disse Zhai, sem especificar as partes relevantes.

    Veja também: CNN mostra destroços da guerra em Israel

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original