Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    China é atingida pelo primeiro tufão do ano, com previsão de chuvas recordes

    Em Macau, uma pessoa ficou ferida devido ao vento e à chuva de aproximação do tufão

    Bandeiras de Hong Kong e da China em Hong Kong
    Bandeiras de Hong Kong e da China em Hong Kong 28/06/2021 REUTERS/Tyrone Siu

    Zhang YanRyan Wooda Reuters

    Ouvir notícia

    O primeiro tufão do ano na China trouxe vendavais e chuva para a costa sul do país neste sábado (2), com meteorologistas alertando para chuvas recordes e alto risco de desastres em províncias como Guangdong, a mais populosa do país.

    O tufão Chaba, o nome tailandês da flor de hibisco, estava se movendo para noroeste entre 15 km/h e 20 km/h depois que o olho da tempestade atingiu a cidade de Maoming, em Guangdong, durante a tarde, informou o Centro Meteorológico Nacional em um comunicado.

    Chaba, embora de intensidade média e com expectativa de perda de força ao longo do tempo, provavelmente trará chuvas extremamente fortes e pode quebrar o recorde de chuvas cumulativas, pois puxa o cinturão de chuvas de monção na região para o interior, disse Gao Shuanzhu, meteorologista-chefe do centro.

    “O vapor de água abundante das monções levará a chuvas intensas e enormes chuvas cumulativas de natureza extrema”, disse Gao, prevendo até 600 mm de chuva cumulativa em algumas áreas.

    Em risco estão o oeste de Guangdong, onde os tufões da China geralmente permanecem, o leste da região autônoma de Guangxi e a província insular de Hainan, com tempestades causando deslizamentos de terra, alagamentos urbanos e inundações, disse Gao.

    Hainan elevou sua resposta de emergência para o Nível II, o segundo mais alto, no sábado, suspendeu o serviço ferroviário em toda a ilha e cancelou mais de 400 voos de e para as cidades de Haikou e Sanya.

    Em Macau, uma pessoa ficou ferida devido ao vento e à chuva na aproximação de Chaba, informaram as televisões estatais.

    Nas águas ao largo de Hong Kong, que fica a 270 km a nordeste de Maoming, mais de duas dúzias de tripulantes em um navio de engenharia com 30 pessoas a bordo estavam desaparecidos depois que ele se partiu em dois em águas ao largo de Hong Kong enquanto Chaba passava, autoridades disse.

    Nas últimas semanas, chuvas e inundações históricas no sul da China destruíram propriedades, paralisaram o tráfego e interromperam a vida diária de milhões em uma das regiões mais populosas e economicamente importantes do país.

    O clima extremo, incluindo inundações extraordinariamente fortes, deve continuar na China até agosto, previram os meteorologistas nesta semana, com a mudança climática parcialmente culpada.

    Mais Recentes da CNN