Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Com queda de público, museu do 11 de Setembro em Nova York fecha as portas

    Número de visitantes caiu de 300 mil antes da pandemia para cerca de 26 mil no ano passado

    Museu do 11 de Setembro em NY fecha as portas após contar histórias de afetados pela tragédia
    Museu do 11 de Setembro em NY fecha as portas após contar histórias de afetados pela tragédia 26/08/2021REUTERS/Caitlin Ochs

    Por Randi Love, da Reuters

    O museu que contou a história dos ataques de 11 de setembro de 2001, em Nova York, sob o ponto de vista das pessoas afetadas fechou as portas e encerrou os passeios, disse um dos cofundadores nesta quinta-feira (18).

    Depois de fechar as portas do Museu de Tributo ao 11 de Setembro, que tem 16 anos, na noite de quarta-feira (17), os voluntários passaram a manhã de quinta-feira coordenando a coleta de uma viga de aço do World Trade Center que estava indo para armazenamento, juntamente com outros artefatos, como equipamentos de socorristas e partes dos dois aviões que colidiram com os prédios.

    O comparecimento ao museu diminuiu de quase 300 mil por ano antes do fechamento de seis meses devido à pandemia de coronavírus em 2020 para 26 mil no ano de 2021, disse Jennifer Adams-Webb, co-fundadora do museu e diretora-executiva da Associação das Famílias 11 de Setembro, que ajudou a iniciar o museu.

    “Os visitantes simplesmente não voltaram”, disse ela, dizendo que a única maneira de o museu permanecer aberto era com o apoio do governo. Ela não conseguiu garantir isso, apesar de meses de conversas com o Departamento de Assuntos Culturais da cidade de Nova York e outros escritórios, disse. O Departamento de Assuntos Culturais não respondeu imediatamente a um pedido de comentário da Reuters.

    A principal diferença entre o museu do tributo e o maior, próximo ao Memorial & Museu do 11 de Setembro, no Marco Zero, local onde ficavam as torres, foi o foco de seu programa em histórias de pessoas que foram diretamente afetadas pela tragédia, contadas por elas mesmas, disse Adams.