Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Coreia do Norte diz ter testado drone subaquático com capacidade de desencadear “tsunami radioativo”

    Segundo relatório da KCNA, a arma está em desenvolvimento desde 2012 e passou por mais de 50 testes nos últimos dois anos

    A mídia estatal norte-coreana diz que o líder Kim Jong Un "dirigiu pessoalmente" um teste de uma arma estratégica nuclear subaquática simulada em 21 de março
    A mídia estatal norte-coreana diz que o líder Kim Jong Un "dirigiu pessoalmente" um teste de uma arma estratégica nuclear subaquática simulada em 21 de março Cortesia Rodong Sinmun

    Brad LendonYoonjung Seoda CNN

    A Coreia do Norte afirmou nesta sexta-feira (24) ter testado um drone subaquático capaz de carregar uma ogiva nuclear que poderia criar um “tsunami radioativo” – no entanto, analistas pediram ceticismo.

    Um relatório da agência estatal de notícias central coreana (KCNA) disse que o drone, chamado de “Navio de ataque nuclear subaquático não tripulado ‘Haeil’”, foi testado de 21 a 23 de março, navegando nas águas da costa leste do país por mais de 59 horas antes de sua ogiva de teste ser detonada na tarde de quinta-feira (23).

    “A missão dessa arma estratégica nuclear é se infiltrar furtivamente em águas operacionais e fazer um tsunami radioativo em superescala por meio de explosão subaquática para destruir grupos de atacantes navais e os principais portos operacionais do inimigo”, disse o relatório da KCNA.

    O relatório revelou que a arma está em desenvolvimento desde 2012 e passou por mais de 50 testes nos últimos dois anos.

    O teste desta semana “verificou sua confiabilidade e segurança e confirmou totalmente sua capacidade de ataque letal”, disse o relatório da KCNA, acrescentando que o drone pode ser implantado de qualquer porto ou rebocado por um navio de superfície para iniciar suas operações.

    Analistas lançaram dúvidas sobre as afirmações da Coreia do Norte.

    “A mais recente alegação de Pyongyang de ter um drone subaquático com capacidade nuclear deve ser recebida com ceticismo” porque a Coreia do Norte não ofereceu nenhuma prova, disse Leif-Eric Easley, professor associado de estudos internacionais na Ewha Womans University em Seul.

    Escrevendo nas redes sociais, Ankit Panda, especialista em política nuclear do Carnegie Endowment for International Peace, disse: “Eu costumo levar a Coreia do Norte a sério, mas não posso descartar a possibilidade de que seja uma tentativa de fraude/operação psicológica”.

    “Seria imprudente alocar fizmat limitado (material físsil) para uma ogiva para ir nesta coisa, IMO, contra mais mísseis balísticos móveis rodoviários”, acrescentou Panda. A ideia de um submersível não tripulado carregando uma ogiva nuclear não é exclusiva da Coreia do Norte.

    A Rússia afirma ter desenvolvido o torpedo Poseidon, um veículo submarino não tripulado movido a energia nuclear capaz de transportar munições convencionais e nucleares. Seu sistema de propulsão nuclear daria ao Poseidon um alcance virtualmente ilimitado.

    Mas a Rússia não ofereceu nenhuma prova de um teste bem-sucedido do Poseidon e os analistas suspeitam que pode levar anos para a implantação.

    A suposta nova arma subaquática da Coreia do Norte tem diferenças importantes em relação ao Poseidon.

    Ele tem propulsão convencional e não é lançado de um submarino, o que significa que não estaria no mesmo nível do torpedo russo, disseram os analistas.

    Testes de mísseis

    A alegação de teste de drones da Coreia do Norte ocorre ao mesmo tempo em que Pyongyang disse que testou mísseis de cruzeiro com capacidade nuclear esta semana.

    Quatro dos mísseis subsônicos atingiram alvos no Mar do Leste, também conhecido como Mar do Japão, depois de voar em padrões ovais e em forma de 8 de 1.500 e 1.800 quilômetros na quarta-feira, informou a KCNA.

    O exercício de quarta-feira (22) “permitiu que as unidades estratégicas de mísseis de cruzeiro se familiarizassem com os procedimentos e processos para realizar as missões de ataque nuclear tático”, disse o relatório.

    Imagem da mídia estatal norte-coreana divulgada na sexta-feira mostra um míssil de cruzeiro em voo. / Cortesia Rodong Sinmun

    O Rodong Sinmun, administrado pelo estado, divulgou uma série de fotos em seu site, supostamente mostrando os mísseis de cruzeiro e o drone subaquático.

    O relatório da KCNA disse que o desenvolvimento de armas nucleares de Pyongyang era necessário para combater “as provocações militares imprudentes que estão sendo intensificadas pelos EUA e pelas autoridades sul-coreanas”.

    As forças dos EUA e da Coreia do Sul têm realizado seus maiores jogos de guerra em cinco anos na parte sul da Península Coreana.

    A Coreia do Norte tem testado vários mísseis ao mesmo tempo, incluindo o teste de um míssil balístico intercontinental na semana passada e os testes de mísseis de menor alcance, como os mísseis de cruzeiro testados na quarta-feira.

    Analistas dizem que Pyongyang está transmitindo uma mensagem aos EUA e seus aliados na região.

    “Os testes de ICBM da Coreia do Norte são ameaças veladas de que poderiam potencialmente destruir cidades americanas”, disse Easley.

    “Seus recentes disparos de mísseis de curto alcance tentam aumentar a credibilidade, o comando e o controle de suas autoproclamadas unidades de armas nucleares táticas destinadas à Coreia do Sul e ao Japão”.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original