Covid-19: UE fecha novo acordo com Pfizer para 1,8 bilhão de doses de vacina

Contrato prevê 900 milhões de doses garantidas (e 900 milhões opcionais) entre 2021 e 2023 para reforço, doações e revendas, disse a Comissão Europeia

UE assinou novo contato para comprar até 1,8 bilhão de doses de vacina contra Covid-19 da Pfizer
UE assinou novo contato para comprar até 1,8 bilhão de doses de vacina contra Covid-19 da Pfizer Foto: Christian Charisius - 30.abr.2021/Reuters

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A União Europeia (UE) assinou um novo contrato com a Pfizer/BioNtech para receber 1,8 bilhão de doses de vacinas contra a Covid-19 de 2021 a 2023, para cobrir doses de reforço, doações e revendas, disse a Comissão Europeia, neste sábado (8).

“Fico feliz em anunciar que a @EU_Commission acaba de aprovar um contrato para 900 milhões de doses garantidas (+900 milhões de opções) com @BioNTech_Group e @Pfizer para 2021-2023”, escreveu a chefe da Comissão Europeia Ursula von der Leyen, em sua conta no Twitter.

“Outros contratos e outras tecnologias de vacinas virão”, disse ela, ao explicar que o novo acordo com a Pfizer e a BioNtech era uma forma de o bloco se preparar para os próximos anos. 

“A Europa permanecerá aberta. Continuaremos exportando vacinas, porque a vacinação é a saída duradoura desta pandemia global”, explicou von der Leyen, em outra mensagem.

A presidente da Comissão Europeia afirmou que a vacinação no continente está progredindo e que a região se prepara para o próximo estágio de sua resposta à pandemia, que incluirá doses de reforço, lidar com possíveis variantes e permitir a vacinação de crianças e adolescentes.

“Mais cedo ou mais tarde, crianças e adolescentes serão vacinadas [contra a Covid-19] e precisamos nos preparar.”

No começo de abril, a Organização Mundial da Saúde (OMS) criticou a lentidão do processo de vacinação na Europa, considerado “inaceitavelmente lento”, e disse que o aumento das infecções pelo novo coronavírus, naquele momento, era “preocupante”.

Pouco depois, as autoridades europeias adotaram medidas para acelerar o ritmo das aplicações de doses e evitar ficar ainda mais atrás dos Estados Unidos e do Reino Unido – que foram mais ágeis não somente para encomendar vacinas em 2020, mas também para aprová-las.

Atualmente, de acordo com números da Our World in Data – publicação mantida por pesquisadores da University of Oxford e pela ONG Global Change Data Lab – quatro dos dez países com maior proporção da população já vacinada com ao menos uma doses estão localizados na Europa (dos quais 3 fazem parte da UE).

(Com informações da Reuters)

Mais Recentes da CNN