Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Depósito de munição explode no norte da Crimeia, diz agência estatal russa

    Ministério da Defesa da Rússia informou que não houve vítimas graves; região é disputada por Ucrânia e Moscou

    Crimeia, em amarelo, é reivindicada pela Ucrânia e pela Rússia
    Crimeia, em amarelo, é reivindicada pela Ucrânia e pela Rússia Foto: Reprodução/CNN Brasil

    Reuters

    em Moscou

    Um depósito de munição explodiu na cidade de Mayskoye, no norte da Crimeia, informou o jornal russo TASS nesta terça-feira (16).

    O Ministério da Defesa da Rússia disse que não ocorreram baixas “graves”, informou a agência de notícias estatal RIA. A Interfax, veículo russo independente, citou a pasta ao noticiar que o incêndio ocorreu na área de armazenamento temporário do depósito de munição.

    Mais cedo nesta terça-feira, a RIA também relatou um incêndio em uma subestação transformadora perto da cidade de Dzhankoi, na Crimeia, a 20 km de distância.

    A Crimeia, que está sob controle russo desde 2014, mesmo que a maior parte do mundo a reconheça como território ucraniano, tem sido um importante ponto de partida para a campanha militar que a Rússia lançou na Ucrânia em 24 de fevereiro.

    A Ucrânia não confirmou ou negou oficialmente a responsabilidade pelas explosões relatadas nos últimos dias.

    “Um lembrete: a Crimeia de um país normal é sobre o Mar Negro, montanhas, recreação e turismo, mas a Crimeia ocupada por russos é sobre explosões de armazéns e alto risco de morte para invasores e ladrões”, tuitou o assessor presidencial ucraniano Mykhailo Podolyak.

    Os relatórios russos não disseram quantas detonações ocorreram no total.

    Na semana passada, uma série de explosões em uma base aérea militar na cidade de Novofedorivka, na costa oeste da Crimeia, pareceu causar grandes danos e destruir vários aviões militares russos, de acordo com fotos de satélite comerciais. A Rússia nomeou o ocorrido de um “acidente”.

    Crimeia entre Rússia x Ucrânia

    A Península da Crimeia era uma região autônoma ucraniana, na qual uma parcela da população possui laços fortes com a Rússia.

    Em uma crise geopolítica grave, a Rússia invadiu e anexou a região, usando como justificativa a presença da população russa, os laços históricos e um plebiscito, considerado ilegítimo pelo Ocidente, apontando que 96,8% dos crimeios desejavam a anexação à Federação Russa.

    EUA e UE fizeram duras sanções a Moscou. A Crimeia é reivindicada pelos dois países até hoje, mas está anexada à Rússia.