Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    EUA pedem que Israel se comprometa a não violar direitos humanos com armas americanas

    Autoridade pontua que pedido se aplica a todas as nações que recebem assistência militar dos EUA

    Tanque israelense retorna da Faixa de Gaza
    Tanque israelense retorna da Faixa de Gaza 26/2/2024 REUTERS/Amir Cohen

    Jennifer Hanslerda CNN

    Os Estados Unidos pediram a Israel que assinasse uma carta prometendo que não cometerá violações dos direitos humanos com armas dos EUA, confirmou o porta-voz do Departamento de Estado, Matt Miller.

    Ele observou que o pedido não é específico de Israel, mas se aplica a todas as nações que recebem assistência militar dos EUA.

    Miller também pontuou que a carta apela aos países que recebem assistência dos EUA para “nos fornecer garantias por escrito de que os destinatários, em primeiro lugar, usarão as armas de acordo com a lei da guerra dos EUA e, em segundo lugar, facilitarão e não negarão ou restringirão arbitrariamente assistência”.

    “Há um processo em que estamos envolvidos com cada país que recebe assistência militar dos Estados Unidos para garantir que estão cientes dos requisitos do memorando de segurança nacional”, explicou Miller em um briefing do Departamento de Estado nesta quarta-feira.

    “É necessário um prazo de 45 dias para que estes países forneçam garantias por escrito, por isso estamos iniciando esse processo agora”, destacou.

    Israel tem sido criticado pela forma como conduz a guerra na Faixa de Gaza. Dezenas de milhares de pessoas foram mortas e as autoridades norte-americanas apelaram repetidamente para que o país faça mais para diminuir o número de mortos.

    Há apelos crescentes do Congresso dos EUA para condicionar a ajuda militar a Israel. Nações de todo o mundo estão alertando contra uma potencial ofensiva militar em Rafah, onde mais de um milhão de pessoas foram deslocadas.

    Miller confirmou anteriormente que os EUA estão avaliando os danos civis causados pelas armas americanas em Israel.