EUA têm recorde no número de pessoas que desistiram da cidadania; entenda

Mais de 5.800 norte-americanos desistiram da cidadania nos primeiros seis meses de 2020, em comparação aos 2.072 que o fizeram em todo o ano de 2019

Homem caminha pela Wall Street, em Nova York, em meio ás preocupações com o avanço do coronavírus nos EUA
Homem caminha pela Wall Street, em Nova York, em meio ás preocupações com o avanço do coronavírus nos EUA Foto: Lucas Jackson - 18.mar.2020 / Reuters

Alaa Elassar, da CNN

Ouvir notícia

Uma nova pesquisa publicada nesse domingo (9) registrou recorde no número de pessoas que desistiram de suas cidadanias norte-americanas.

Mais de 5.800 norte-americanos desistiram da cidadania nos primeiros seis meses de 2020, em comparação aos 2.072 que o fizeram em todo o ano de 2019, de acordo com a Bambridge Accountants. A companhia, com sede em Nova York, é especializada em impostos de expatriados nos EUA e no Reino Unido.

A empresa disse que analisou dados públicos, divulgados pelo governo dos Estados Unidos a cada três meses, de todos os norte-americanos que desistiram de suas cidadanias.

Assista e leia também:
Trump assina decretos com estímulo econômico após falha no diálogo com Congresso
Professor que adivinha resultado das eleições desde 1984 diz que Trump perde
Eleições nos EUA: Trump perde terreno enquanto país luta contra Covid-19

“São principalmente pessoas que já deixaram os EUA e decidiram que estão fartas de tudo”, afirmou Alistair Bambridge, sócio da Bambridge Accountants, à CNN. “Vimos que as pessoas estão cansadas de tudo o que está acontecendo com o presidente Donald Trump, da forma como a pandemia do novo coronavírus está sendo administrada, e da política nos EUA neste momento”, disse ele.

Impostos

Enquanto muitas pessoas que renunciaram à sua cidadania dizem estar infelizes com o atual clima político no país, outra razão para a decisão são os impostos, segundo Bambridge.

Os cidadãos norte-americanos que vivem no exterior ainda precisam apresentar declarações fiscais todos os anos, informando suas contas bancárias, investimentos e pensões nos países em que estão, explicou ele. 

Embora muitos cidadãos possam reivindicar o direito aos benefícios do governo de US$ 1,2 mil e dos US$ 500 por cada filho, para muitos deles a declaração anual (rigorosa e com um alto imposto de renda) “é demais”.

Os norte-americanos que queiram desistir de sua cidadania precisam pagar US$ 2.350 e comparecer à embaixada dos EUA no país em que estão.

Apesar dos riscos de renunciar à cidadania norte-americana, Bambridge prevê que essa tendência só vai aumentar.

“Muitas pessoas estão esperando as eleições de novembro para ver o que vai acontecer”, disse ele. “Se o presidente Trump for reeleito, acreditamos que haverá uma outra onda de pessoas que optarão por renunciar à sua cidadania.”

(Texto traduzido, clique aqui e leia o original em inglês.)

Mais Recentes da CNN