Governadores assumem compromissos ambientais e representam seus estados na COP26

Treze governadores confirmaram presença na Conferência do Clima da ONU, que começou neste domingo (31) em Glasgow, na Escócia

Homem pedala em frente a prédios onde acontecerá COP26
Homem pedala em frente a prédios onde acontecerá COP26 Jeff J Mitchell/Getty Images

Juliana Eliasda CNN*

Em São Paulo

Ouvir notícia

Ao menos 13 governadores confirmaram que participarão da COP26, a 26ª Conferência das Nações Unidas para a Mudança do Clima, que começa neste domingo (31) em Glasgow, na Escócia, e vai até 12 de novembro.

Boa parte deles integra o Consórcio Brasil Verde, inciativa criada recentemente por governadores para que atuem em conjunto na promoção de ações de enfrentamento às mudanças climáticas e também para que possam fazer uma interlocução direta dos governos locais com lideranças internacionais.

O Brasil Verde reuniu até aqui 22 chefes estaduais e é presidido pelo governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), que também estará presente à conferência em Glasgow e tem, entre suas missões na viagem, apresentar o novo grupo à comunidade internacional.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou na semana passada que não irá participar da COP26. “É uma estratégia nossa, o nosso ministro do Meio Ambiente vai. E é um local que nós já assumimos compromisso, estamos cumprindo”, disse em entrevista à TV A Crítica.

O governo federal deverá ser representado pelos ministros do Meio Ambiente, Joaquim Leite; das Comunicações, Fábio Faria; e das Minas e Energia, Bento Albuquerque.

Os 13 governadores que confirmaram presença na COP26 foram:

  • Gladson Cameli (Republicanos), do Acre
  • Camilo Santana (PT), do Ceará
  • Renato Casagrande (PSB), do Espírito Santo
  • Mauro Mendes (DEM), de Mato Grosso
  • Romeu Zema (Novo), de Minas Gerais
  • Helder Barbalho (MDB), do Pará
  • Paulo Câmara (PSB), de Pernambuco
  • Wellington Dias (PT), do Piauí
  • Fátima Bezerra (PT), do Rio Grande do Norte
  • Eduardo Leite (PSDB), do Rio Grande do Sul
  • Marcos Rocha (PSL), de Rondônia
  • Carlos Moisés (PSL), de Santa Catarina
  • João Doria (PSDB), de São Paulo

Veja a programação e os principais projetos de alguns deles:

Espírito Santo: Renato Casagrande (PSB)

O governador do Espírito Santo, que preside e capitaneou a iniciativa de criação do consórcio de governadores Brasil Verde, viajou na sexta-feira (29) para a Escócia, em uma comitiva integrada ainda por seu secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Fabricio Machado, e a diretora presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), Cristina Engel.

“Com o Consórcio Brasil Verde, fruto da coalizão de governadores pelo clima, criamos um instrumento ousado e inovador, que nos prepara para atrair recursos nacionais e internacionais para financiarmos alternativas energéticas renováveis e medidas capazes de reduzir emissões de CO²”, escreveu o governador, na sexta, em sua conta no Twitter.

“O foco é ajudar o país no diálogo com organismos multilaterais e nações amigas, num esforço planetário de proteção ambiental e contenção da crise climática.”

Mato Grosso: Mauro Mendes (DEM)

Mauro Mendes viaja com nove servidores até o dia 8 de novembro. A frente de um estado que possui uma das maiores atividades agrícolas do país, irá apresentar metas alcançadas em produção sustentável e conservação do meio ambiente, aderindo à campanha  “Race to Zero” (Corrida para o Zero), para zerar a emissão de carbono até 2035.

Desde quinta-feira (28), Mendes está na Dinamarca, onde teve as primeiras reuniões e compromissos com o foco em mostrar o comprometimento do Mato Grosso com uma produção sustentável.

“Hoje me reuni com o vice-ministro da Agricultura do país [Dinamarca], Tejs Binderup, onde apresentei as nossas ações em prol de medidas mais sustentáveis, já que somos o estado do Brasil que mais produz milho, soja, algodão e carne”, escreveu o governador em suas redes sociais, na sexta.

Minas Gerais: Romeu Zema (Novo)

Zema tem participação prevista na conferência como um dos palestrantes no painel de abertura do evento de Ação sobre Cidades, Regiões e Ambiente Construído, em 11 de novembro.

Ele deverá falar sobre a adesão de Minas Gerais à campanha Race To Zero, para alcançar a neutralização de emissões líquidas de carbono até o ano de 2050, de acordo com a agência de notícias oficial do estado.

Também integram a delegação mineira a secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Marília Melo; o secretário-geral do Estado, Mateus Simões, o presidente da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), Renato Brandão; o presidente do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), Sérgio Gusmão, e a coordenadora do Núcleo de Sustentabilidade, Energia e Mudanças Climáticas da Feam, Larissa Oliveira.

Pará: Helder Barbalho (MDB)

Barbalho deverá ser o representante oficial dos nove estados que integram a região da Amazônia Legal, formada por Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Rondônia, Roraima e Tocantins, além do Pará.

Entre as ações destacadas pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará (Semas), que deverão ser apresentadas pela comitiva paraense durante a conferência do Clima, estão o Plano Amazônia Agora, programa estadual criado em 2020 com o objetivo de levar o Pará à neutralidade climática no uso da terra e de florestas antes de 2036, e o Fundo Amazônia Oriental, criado em 2019 para financiar projetos de preservação ambiental no estado.

Piauí: Wellington Dias (PT)

Dias integrará a delegação brasileira da COP26 a convite do Ministério do Meio Ambiente, e ficará em viagem entre os dias 6 e 15 de novembro, de acordo com nota do governo do estado. Não há, porém, detalhes disponíveis de sua agenda e de sua equipe durante a conferência.

A preparação de uma carteira de projetos na área ambiental está entre os esforços liderados por Dias nas últimas semanas, de acordo com o governo, para apresentar à conferência internacional.

“Serão 27 governadores do país e do Distrito Federal que tiveram a coragem e a iniciativa de organizar um consórcio nacional com um fim específico de apresentar uma carteira de nove projetos, focados no acordo de Paris, com a responsabilidade de garantir a atenção especializada para os principais biomas do Brasil”, disse o governador em nota.

Rio Grande do Norte: Fátima Bezerra (PT)

Fátima Bezerra integrará, em Glasgow, a mesa “Gênero, Pobreza e Transição Energética”.

Ela ainda passará pela Dinamarca e Noruega para encontro com autoridades, com o objetivo de “discutir os avanços da implementação de energias limpas e renováveis no Rio Grande do Norte, que possui o maior complexo de parques geradores de energia eólica do Brasil”.

Rio Grande do Sul: Eduardo Leite (PSDB)

O tucano estará em Glasgow participando da COP26 entre os dias 1º a 5 de novembro.

“Assumiremos o compromisso de trabalhar para neutralizar as emissões de carbono do nosso estado em 50% até 2030 e agir para neutralizar as nossas emissões até 2050″, disse Leite em um vídeo divulgado em suas redes sociais na semana passada.

Para atingir os compromissos, o estado irá elaborar projetos para a neutralização das emissões ao longo dos próximos 12 meses, de acordo com comunicado publicado pelo governo.

São Paulo: João Doria (PSDB)

O governador de São Paulo chegou à Escócia no sábado (30) e, neste domingo (31), inaugurou a participação do estado na conferência apresentando os compromissos paulistas no painel do “Dia Mundial das Cidades”.

Em sua fala, Doria destacou a adesão de São Paulo aos programas globais de redução de emissões das Nações Unidas – “Race to Zero” e “Race to Resilience” – e as metas assumidas pelo estado de neutralizar as emissões de gases do efeito estufa até 2050.

“Nossa participação na COP26 é especial e marca a posição de São Paulo como um governo que respeita o meio ambiente e assume compromissos de combate às mudanças climáticas”, escreveu o governador em sua conta no Twitter, neste domingo.

A CNN não conseguiu confirmar as agendas e informações sobre as comitivas de Gladson Cameli (Republicanos-AC), Camilo Santana (PT-CE), Paulo Câmara (PSB-PE) e Carlos Moisés (PSL-SC).

Não irão, mas enviarão representantes

Wanderlei Barbosa (sem partido), governador em exercício do Tocantins, irá enviar a secretária do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Miyuki Hyashid, a diretora de Instrumentos de Gestão Ambiental , Marli Teresinha dos Santos, e o gerente de Recursos Energéticos e Mudanças Climáticas, Francis Rinaldi Frigeri.

Reinaldo Azambuja (PSDB), governador de Mato Grosso do Sul, será representado pelo secretário de Meio Ambiente, Jaime Verruck, que irá apresentar o projeto “Ilumina Pantanal”. O mesmo acontece com o governador do Rio de Janeiro, Claudio Castro (PL), que irá enviar o secretário de Meio Ambiente, Thiago Pampolha.

Antonio Denarium (Progressistas), governador de Roraima, será representado pelo secretário de Planejamento e Desenvolvimento, Emerson Baú, e o presidente da Fundação Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Ionilson Sampaio.

Waldez Góes (PDT), governador do Amapá, enviará a secretária de Meio Ambiente, Josiane Andréia Soares Ferreira, e o secretário de Planejamento, Eduardo Tavares.

Wilson Lima (PSC), governador do Amazonas, será representado pelo secretário de Meio Ambiente, Eduardo Taveira.

Renan Filho (MDB), governador de Alagoas, não irá, mas ainda não informou o nome de seu representante na Conferência.

(*Com informações de Douglas Porto e Carolina Figueiredo)

Mais Recentes da CNN