Homem de 60 anos é 1ª pessoa sem doença terminal a morrer de eutanásia na Colômbia

Victor Escobar Prado, de 60 anos, lutava pelo direito há dois anos

Víctor Escobar com seu advogado, Luis Giraldo Montenegro
Víctor Escobar com seu advogado, Luis Giraldo Montenegro Reprodução / Twitter Luis Giraldo Montenegro

Ligia Tuonda CNN

Ouvir notícia

Morreu de eutanásia na noite desta sexta-feira (7) a primeira pessoa sem doença terminal a ter o procedimento aprovado na Colômbia.

Victor Escobar Prado, de 60 anos, lutava pelo direito há dois anos com a ajuda de seu advogado, Luis Giraldo Montenegro, que confirmou sua morte na noite de ontem.

“Victor simplesmente conseguiu…Ele apenas deu um tempo com a dor. Deus terá misericórdia dele..você é um guerreiro”, disse no Twitter.

Com doença pulmonar obstrutiva crônica, era dependente de oxigênio e tinha sequelas agravadas por dois acidentes vasculares cerebrais e um acidente de trânsito ocorrido durante a juventude.

A eutanásia foi legalizada na Colômbia desde 2015, mas era permitida somente a pacientes com doenças terminais.

Caso Martha Sepúlveda

Um caso recente, da também colombiana Martha Sepúlveda, de 51 anos, veio a público no ano passado, mas sem o mesmo desfecho de Escobar.

Em outubro, Sepúlveda havia anunciou que foi autorizada a fazer eutanásia mesmo sem ser um paciente terminal, para evitar o sofrimento devido à esclerose lateral amiotrófica (ELA).

A colombiana ia morrer por vontade própria no dia 10 de outubro, mas 36 horas antes de sua morte, o Instituto Colombiano de Dor (Incodol), em Medellín, informou que o procedimento não iria ocorrer.

Com infromações de Melissa Velásquez Loaiza, da CNN

Mais Recentes da CNN