Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Incêndio em Maui é o desastre natural mais mortal no Havaí desde criação do estado

    Número de mortos ultrapassou 90 e pode aumentar; prejuízo estimado é de cerca de US$ 6 bilhões

    Da CNN

    O número de mortos em decorrência dos incêndios florestais na ilha de Maui, no Havaí, subiu para 93. Assim, esse é o desastre natural mais mortal na história do estado, superando as 61 mortes confirmadas em um tsunami em Hilo, em 1960.

    No entanto, antes de o Havaí se tornar um estado, em 1959, as ilhas sofreram um tsunami devastador que matou 158 pessoas, em 1946.

    Veja também — Estamos em processo de incerteza radical com aquecimento global, diz presidente do Proam

    Durante entrevista coletiva no sábado (12), o governador do Havaí, Josh Green, ressaltou que o número deve aumentar. Ele também destacou o nível da destruição, classificando como o “maior desastre natural que o Havaí já presenciou”, ressaltando que levará “muito tempo para se recuperar”.

    “A curto prazo, será doloroso e, a longo prazo, as pessoas vão precisar de serviços de saúde mental, e, a muito longo prazo, vamos reconstruir juntos”, pontuou.

    Ele afirmou que é difícil alocar as pessoas em quartos de hotel com eletricidade suficiente. “Não queremos deslocar as pessoas de um lugar que tem energia elétrica, banheiros funcionando, para lugares que não têm”, ponderou o governador.

    Cerca de 1.000 quartos de hotel foram reservados para pessoas que tiveram de ser evacuadas e socorristas, acrescentou ele, e soluções de moradia a longo prazo estão sendo buscadas.

    “O escopo da transferência foi extraordinário. Quase 15 mil passageiros por dia foram retirados. Isso facilita muito nosso trabalho de recuperação e a maioria já deixou a região”, acrescentou.

    “Ainda temos pessoas ficando no aeroporto ou decidindo sobre quando estarão prontas para ir. Muitas estão traumatizadas com o que veem e pelo que os outros estão passando”, comentou.

    O chefe da polícia de Maui, John Pelletier, disse ter identificado duas pessoas cujos restos mortais foram encontrados nos escombros dos incêndios florestais de Maui até sábado.

    Pelletier não divulgou os nomes das duas pessoas e observou que as equipes de busca ainda têm um longo trabalho a ser feito. “Estamos indo o mais rápido que podemos. Mas, só para você saber, [conseguimos revistar] 3%. Isso é o que foi revistado com os cães: 3%”, advertiu.

    Prejuízo estimado de US$ 6 bilhões

    Cerca de 2.200 estruturas foram destruídas ou danificadas pelos incêndios em Maui, disse o governador Josh Green durante a entrevista coletiva.

    “Se você olhar para o que vimos agora em West Maui, 2.200 estruturas foram destruídas ou danificadas. Dessas, 86% são residenciais”, informou Green.

    “As perdas se aproximam de US$ 6 bilhões, em estimativa”, acrescentou o governador.

    A Agência Federal de Gerenciamento de Emergências contestou um valor de avaliação de danos de US$ 5,52 bilhões que foi anteriormente atribuído ao Pacific Disaster Center e à FEMA, chamando-o de impreciso e dizendo que era prematuro atribuir até mesmo uma quantia aproximada em dólares aos danos causados em Maui.

    *publicado por Tiago Tortella, da CNN

    *com informações de Heather Chen e Michelle Watson, da CNN