Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Irã pode libertar cinco cidadãos dos EUA em troca de prisioneiros

    Acordo envolve ainda a liberação de US$ 6 bilhões congelados em fundos iranianos na Coreia do Sul

    Bandeira iraniana em rua em Teerã
    Bandeira iraniana em rua em Teerã 01/02/2023Majid Asgaripour/WANA (West Asia News Agency) via REUTERS

    Arshad MohammedParisa Hafezida Reuters

    Washington

    O Irã pode libertar cinco cidadãos norte-americanos detidos como parte de um acordo com os Estados Unidos, conforme disseram fontes familiarizadas com o assunto na quinta-feira (10).

    A proposta é que os norte-americanos deem como contra-partida o descongelamento de US$ 6 bilhões (cerca de R$ 29 bilhões) em fundos iranianos na Coreia do Sul e a libertação de alguns iranianos de prisões dos EUA.

    Em um primeiro passo do que pode ser um complexo conjunto de manobras, o Irã permitiu que quatro cidadãos norte-americanos detidos a deixarem a prisão de Evin, em Teerã, disse o advogado de um deles à Reuters na quinta-feira, somando-se a um prisioneiro já colocado sob prisão domiciliar.

    Entre os permitidos a deixarem a prisão estão os empresários Siamak Namazi, de 51 anos, e Emad Shargi, de 58 anos, além do ambientalista Morad Tahbaz, de 67 anos, que também tem nacionalidade britânica, disse Jared Genser, advogado que representa Namazi. A identidade do quarto cidadão norte-americano não foi divulgada, assim como a do quinto cidadão já sob prisão domiciliar.

    “A transferência pelo Irã dos reféns americanos da prisão de Evin para uma esperada prisão domiciliar é um desenvolvimento importante”, disse Genser em comunicado.

    “Embora eu espere que este seja o primeiro passo para a libertação final, este é, na melhor das hipóteses, o começo do fim e nada. Simplesmente não há garantias sobre o que acontecerá a partir daqui.”

    Iraniano-americanos, cuja cidadania norte-americana não é reconhecida por Teerã, muitas vezes são utilizados como peões entre as duas nações, que seguem em desacordo em questões que vão desde o programa nuclear iraniano ao apoio de Teerã às milícias xiitas em países como Iraque e Líbano.

    Os cinco terão permissão para deixar o Irã após o descongelamento de US$ 6 bilhões (cerca de R$ 29 milhões) em fundos iranianos na Coreia do Sul, disse uma fonte à Reuters. Confirmado o acordo alcançado entre os dois países, muitos iranianos em prisões norte-americanas seriam libertados.

    Uma segunda fonte familiarizada com as conversas indiretas EUA-Irã avaliou que poderia levar semanas até que os cidadãos norte-americanos deixem o Irã, acrescentando que setembro seria um prazo possível. A fonte confirmou que o desbloqueio dos fundos pode fazer parte do acordo.

    Namazi, condenado em 2016 por acusações relacionadas a espionagem que os Estados Unidos rejeitaram como infundadas, está detido pelo Irã há mais de sete anos. Seu pai, Baquer, foi autorizado a deixar o Irã em outubro para tratamento médico após ser detido por acusações semelhantes também negadas por Washington.

    Tahbaz foi preso em 2018 e condenado a 10 anos de prisão por “reunião e conluio contra a segurança nacional do Irã” e por supostamente trabalhar para os Estados Unidos como espião. Shargi foi condenado por espionagem em 2020 a 10 anos.

    Veja também — Irã executa três envolvidos em protestos contra governo