Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Modi visita Putin pela primeira vez desde o início da guerra com a Ucrânia

    Primeiro-ministro da Índia chegou à Rússia na segunda-feira (8)

    Modi em Nova Délhi
    Modi em Nova Délhi 4/6/2024 REUTERS/Adnan Abidi

    Rhea Mogulda CNN

    O Primeiro-Ministro da Índia, Narendra Modi, chegou à Rússia na segunda-feira (8) para sua primeira visita ao país desde o início da invasão em larga escala da Ucrânia por Moscou, sinalizando que as duas nações mantêm relações próximas apesar da crescente dependência do Kremlin em relação à China.

    Durante sua visita de dois dias, Modi deve participar de um jantar privado oferecido por Vladimir Putin e se reunir com o presidente russo, conforme informou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Índia, Randhir Jaiswal.

    O encontro “irá proporcionar uma oportunidade para os dois líderes revisarem toda a gama de questões bilaterais”, disse Jaiswal a repórteres em Nova Delhi na semana passada, acrescentando que Modi e Putin “também compartilharão perspectivas sobre desenvolvimentos regionais e globais de interesse mútuo”.

    A Índia continua altamente dependente do Kremlin para seu equipamento militar e aumentou as compras de petróleo cru russo com desconto, proporcionando à nação de Putin um importante suporte financeiro enquanto enfrenta isolamento por parte do Ocidente.

    O comércio entre os dois países foi avaliado em quase 65 bilhões de dólares em 2023-24, principalmente devido à forte cooperação energética, mas a maior parte desse total fluiu para a Rússia, afirmou Jaiswal.

    Reduzir o desequilíbrio comercial será uma “questão de prioridade” nas discussões de Modi com Putin, acrescentou.

    Modi encontrou-se pela última vez com Putin à margem da reunião da Organização de Cooperação de Shangai de 2022 no Uzbequistão, quando disse ao líder russo: “Agora não é hora de guerra”.

    Embora a Índia tenha pedido o fim das hostilidades na Ucrânia e a restauração da paz, também se absteve de todas as resoluções sobre a Ucrânia nas Nações Unidas e evitou condenar explicitamente a invasão da Rússia.

    “Estou ansioso para revisar todos os aspectos da cooperação bilateral com meu amigo Presidente Vladimir Putin e compartilhar perspectivas sobre várias questões regionais e globais”, disse Modi em um comunicado de seu gabinete antes de partir para a Rússia. “Buscamos desempenhar um papel de apoio para uma região pacífica e estável.”

    O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky, falando após os ataques mortais da Rússia à Ucrânia na segunda-feira, disse que foi “uma grande decepção e um golpe devastador para os esforços de paz ver o líder da maior democracia do mundo abraçar o criminoso mais sangrento do mundo em Moscou em um dia como esse.”

    Após a chegada de Modi, Putin mostrou ao líder indiano sua residência em Novo-Ogaryovo, na região de Moscou. Eles se cumprimentaram com um abraço, conversaram enquanto tomavam chá e deram uma volta em um veículo elétrico. Putin também mostrou a Modi os estábulos e assistiram a um show de cavalos.

    Esta viagem é a primeira visita bilateral de Modi desde sua vitória para um terceiro mandato consecutivo nas eleições gerais do mês passado e é vista como uma quebra rara na convenção para um líder indiano que normalmente viaja para países vizinhos como Butão, Sri Lanka e Maldivas.

    A visita também ocorre enquanto a Rússia se aproxima cada vez mais da China, potencialmente deixando Nova Delhi desconfortável devido ao seu antigo conflito na fronteira do Himalaia com Pequim, que tem se intensificado nos últimos anos.

    A viagem de Modi segue a volta de Putin do Cazaquistão, onde o líder russo participou na semana passada da reunião anual dos líderes da Organização de Cooperação de Shanghai (SCO), um bloco de países da Eurásia liderado pela China e pela Rússia, onde ele afirmou que as relações Moscou-Pequim estão vivendo “o melhor período de sua história”.

    Para a Índia, essa relação crescente é “motivo de profunda preocupação”, disse Nandan Unnikrishnan, um pesquisador da Observer Research Foundation em Nova Delhi.

    “Essa é uma das razões pelas quais o Sr. Modi está realizando esta viagem, porque tradicionalmente, a União Soviética e subsequentemente a Rússia têm sido um equilibrador em nossa relação com a China, que não tem sido a melhor desde o final dos anos 50 do século passado”, explicou ele.
    Apesar de a Índia ser membro da SCO, Modi esteve visivelmente ausente da reunião no Cazaquistão, indicando para alguns analistas que o líder da maior democracia do mundo não vê o bloco como um canal eficaz para perseguir os interesses de Nova Delhi.

    A visita de Modi à Rússia também é amplamente vista como o mais recente obstáculo nos esforços dos líderes ocidentais para afastar Putin.

    Apesar de minar as sanções ocidentais ao comprar grandes quantidades de petróleo russo, Nova Delhi manteve proximidade com os Estados Unidos, um parceiro-chave, já que ambos os países compartilham preocupações com a assertividade da China na região do Indo-Pacífico.

    Modi se encontrou com o presidente dos EUA, Joe Biden, durante uma visita oficial a Washington em junho do ano passado, em uma viagem que fortaleceu ainda mais a parceria em defesa, comércio e tecnologia. O líder indiano também discursou no Congresso durante essa visita, uma honra geralmente reservada para aliados e parceiros próximos dos EUA, e participou de um suntuoso jantar de Estado. A Índia faz parte do grupo de segurança Quad com os EUA, Japão e Austrália.

    Mais tarde naquele ano, Putin não compareceu à cúpula de líderes do G20 em Nova Delhi, durante a qual os líderes emitiram uma declaração consensual criticando sua invasão à Ucrânia.

    Após sua viagem à Rússia, Modi visitará a Áustria, em sua primeira visita à nação europeia, conforme anunciado por seu gabinete.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original