No Líbano, Macron promete ajuda e diz que dinheiro não irá para corruptos

"Uma conferência internacional será realizada nos próximos dias como forma de reerguer os libaneses”, afirmou o presidente

Pedro Teodoro*

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Em visita ao Líbano nesta quinta-feira (6), o presidente francês, Emmanuel Macron afirmou que seu país irá “organizar uma forma de reerguer Beirute”. Ele visitou a capital libanesa dois dias depois da explosão no porto da cidade que, até o momento, deixou 137 mortos e 5 mil feridos.

“Uma conferência internacional será realizada nos próximos dias como forma de reerguer os libaneses”, afirmou o presidente.

“Esta ajuda, eu garanto, não vai acabar em mãos corruptas. Vou falar com todas as forças políticas para pedir um novo pacto”, disse Macron. “Estou aqui hoje para propor um novo pacto político. Se eles [as forças políticas] não conseguem manter esse pacto, assumirei minhas responsabilidades “, acrescentou o presidente francês.

Leia e assista também

Explosão em Beirute: o que se sabe até agora

‘Ajuda de outros países será necessária’, diz morador de Beirute após explosão

Bolsonaro avalia envio de ajuda ao Líbano após explosão em Beirute

Para Macron, é de suma importância que a juventude da nação volte a se orgulhar de seu país de origem: “Tenho certeza que o Líbano irá dar a volta por cima, mas para isso será necessário que seus jovens lutem, e reformas sejam feitas”. Atualmente, de acordo com o mandatário francês, cerca de 300 mil libaneses moram na França. Segundo Macron, “esse foi um dos motivos pelos quais tive que vir prestar minha solidariedade neste momento”.  

A coletiva ocorreu por cerca de 15 minutos, e foi concluída com a promessa do líder europeu em retornar ao Líbano. “Devo retornar em setembro; espero que os libaneses já estejam em outra situação. Dessa vez, bem melhor”.  

(Com informações de Barbara Wojazer e Sharon Braithwaite, da CNN Internacional. *sob supervisão de Giovanna Bronze)

Mais Recentes da CNN