Nobel de Física vai para trio que usa luz para estudar a dinâmica de elétrons nos átomos

Prêmio de Física é o segundo a ser entregue na semana; cientistas que abriram caminho para o desenvolvimento de vacinas contra covid-19 já haviam sido laureados

Flávio Ismerimda CNN

São Paulo

A Real Academia Sueca de Ciências entregou, nesta terça-feira (3), o Prêmio Nobel de Física para os cientistas Pierre Agostini, Ferenc Krausz e Anne L’Huillier pelo estudo da dinâmica de elétrons na matéria.

O prêmio foi aumentado este ano para 11 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 5 milhões).

Conforme o prêmio explicou em publicação feita no X, anteriormente conhecido como Twitter, eles “deram à humanidade novas ferramentas para explorar o mundo dos elétrons dentro dos átomos e moléculas”.

Os elétrons se movem tão rapidamente que antes se pensava que seus movimentos eram impossíveis de acompanhar. No entanto, após as descobertas do trio, isso se tornou possível.

“Pierre Agostini, Ferenc Krausz e Anne L’Huillier demonstraram uma maneira de criar pulsos de luz extremamente curtos que podem ser usados ​​para medir os processos rápidos nos quais os elétrons se movem ou mudam de energia. As contribuições dos laureados permitiram a investigação de processos tão rápidos que antes eram impossíveis de acompanhar.”

A física é o segundo Nobel a ser concedido esta semana, depois que a cientista húngara Katalin Kariko e o colega norte-americano Drew Weissman ganharam o prêmio de medicina por fazerem descobertas de moléculas de mRNA que abriram caminho para as vacinas Covid-19.

Criados pelo testamento do inventor e empresário da dinamite Alfred Nobel, os prêmios para realizações na ciência, na literatura e na paz são atribuídos desde 1901 com algumas interrupções, tornando-se indiscutivelmente a maior honraria para cientistas de todo o mundo.

Embora o prêmio para a paz seja o mais relevante, o prêmio de física também tem frequentemente ocupado o centro das atenções com vencedores como Albert Einstein e prêmios para a ciência que mudaram fundamentalmente a forma como vemos o mundo.

No ano passado, Alain Aspect, John Clauser e Anton Zeilinger foram laureados pelo trabalho sobre emaranhamento quântico, onde duas partículas estão ligadas independentemente do espaço entre elas, algo que perturbou o próprio Einstein, que certa vez se referiu a isso como “ação assustadora à distância”.

Anunciado em dias úteis consecutivos no início de outubro, o anúncio do prêmio de física será seguido por outros de química, literatura, paz e economia, sendo este último uma adição posterior à lista original.

Veja também: Cientistas recebem Nobel de Medicina por pesquisa que levou à vacina contra Covid

Com informações da Reuters e da CNN Internacional