Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Número de mortos por terremoto na Turquia sobe para 91; Grécia registra 2 mortes

    Atingido de maneira mais intensa, a Turquia já registrou pelo menos 896 cidadãos feridos pelo desastre

    Um dos prédios destruídos em Izmir pelo terremoto que afetou a Turquia e a Grécia (30.out.2020)
    Um dos prédios destruídos em Izmir pelo terremoto que afetou a Turquia e a Grécia (30.out.2020) Foto: CNN Brasil

    Leonardo Lopes,

    da CNN, em São Paulo*

    O terremoto de magnitude 7 que abalou a região do Mar Egeu na última sexta (29) já deixou pelo menos 93 mortos. O número de mortos na Turquia foi atualizado para 91 na tarde desta segunda (02) pela Agência Turca de Gestão de Desastres e Emergências (AFAD). Na Grécia, foram registradas duas mortes pelos tremores.

    Atingido de maneira mais intensa, a Turquia já registrou pelo menos 994 cidadãos feridos pelo desastre. Entre as vítimas, 839 receberam alta hospitalar e 155 continuam sendo monitoradas para cuidados. 

    Leia também:
    Terremoto na Turquia: homem é resgatado após passar 33 horas soterrado
    Gato é resgatado dos escombros de terremoto na Turquia

    Além disso, ao menos 20 prédios foram destruídos com os tremores. As operações de resgate seguem acontecendo nos escombros de 5 edifícios na província turca de Izmir. Para o trabalho, foram direcionados 7.967 funcionários, 25 cães de busca e 1.071 veículos.

    Após o forte terremoto que foi o responsável pela principal parte do estrago, foram registrados 1.286 tremores secundários. Deste reflexo, 43 tremores atingiram magnitude maior do que 4 graus na escala Richter.

    Segundo a Guarda Costeira turca, 22 barcos afundaram após o terremoto e 43 ficaram encalhados. Daqueles que afundaram, 14 foram retirados do mar e 40 dos 43 encalhados foram salvos.

    A região de Izmir, que foi uma das mais atingidas, recebeu 3.569 tendas da AFAD para abrigo das vítimas do terremoto. Além disso, o movimento humanitário do Crescente Vermelho turco enviou unidades móveis de alimentação com capacidade para mais de 232 mil refeições.

    (Sob supervisão de Paula Bezerra)