ONU discute sobre uma ordem do Talibã para as mulheres cobrirem os rostos novamente

Desde a retomada do poder, grupo islâmico falou que iria respeitar o direito das mulheres

Mulheres podem ser obrigadas novamente a cobrir o rosto no Afeganistão (Photo by Scott Peterson/Getty Images)
Mulheres podem ser obrigadas novamente a cobrir o rosto no Afeganistão (Photo by Scott Peterson/Getty Images) Getty Images

Da Reuters

Ouvir notícia

O Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) se reunirá na quinta-feira (12) para discutir uma ordem do Talibã do Afeganistão para as mulheres cobrirem seus rostos em público, o que seria um retorno a uma política de linha dura do grupo islâmico e uma escalada de restrições.

A enviada especial da ONU para o Afeganistão, Deborah Lyons, deve informar ao Conselho de 15 membros, informou a missão da ONU da Noruega, a qual solicitou a reunião de portas fechadas, “para abordar o aumento das restrições aos direitos humanos e liberdades de meninas e mulheres afegãs”.

Sob a regra anterior do Talibã de 1996 a 2001, as mulheres tiveram que se cobrir, não podiam trabalhar e as meninas foram banidas da escola. Mas depois de retomarem o poder em agosto passado, eles prometeram respeitar os direitos das mulheres.

No entanto, em março, o Talibã voltou ao anúncio sobre a reabertura de escolas secundárias para as meninas, dizendo que permaneceriam fechadas até que um plano fosse elaborado de acordo com a lei islâmica para que elas reabrissem.

No sábado (7), o líder supremo do grupo, Haibatullah Akhundzada, disse que, se uma mulher não tivesse cobrindo o rosto fora de casa, seu pai ou parente masculino mais próximo seriam visitados e poderiam ser presos ou demitidos de empregos estatais.

A maioria das mulheres no Afeganistão usa um lenço na cabeça por razões religiosas, mas muitas em áreas urbanas como Cabul não cobrem seus rostos.

(Publicado por Carolina Farias)

Mais Recentes da CNN