Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Opositor de Putin diz que é forçado a ouvir cantor pró-líder russo todas as manhãs

    Alexei Navalny, crítico do Kremlin, já reclamou de ter sido envenenado, agredido e privado de tratamento médico adequado

    Reuters

    Alexei Navalny, crítico do Kremlin preso, já reclamou de ter sido envenenado, agredido e privado de tratamento médico adequado, mas nesta segunda-feira revelou que enfrenta um novo desafio: ser forçado a ouvir um cantor pop pró-Putin todos os dias às 5h da manhã.

    Ex-advogado que ganhou fama mais de uma década atrás ao satirizar a elite do presidente Vladimir Putin e fazer acusações de corrupção, Navalny, de 47 anos, está atualmente detido a cerca de 60 km ao norte do Círculo Ártico.

    Sentenciado à prisão até completar 74 anos por acusações que, segundo ele, foram forjadas para mantê-lo afastado da política, Navalny disse que seu regime matinal agora inclui ouvir o hino nacional russo antes de começarem a tocar “Eu sou russo”, uma música patriótica de um cantor pró-Putin chamado “Shaman”.

    Shaman, que na verdade se chama Yaroslav Dronov, surfou uma onda de patriotismo alimentado pela guerra para se tornar uma referência na televisão estatal e é uma das celebridades que está oficialmente lançando Putin novamente para a presidência em março.

    Sua música característica, que ele às vezes canta vestido em couro preto com uma braçadeira nas cores da bandeira da Rússia — “Eu sou russo” — fala sobre como russos não podem ser “quebrados”, “vão até o fim” e carregam o sangue dos seus pais.

    O cantor de 32 anos gerou controvérsia em novembro quando simulou o disparo de uma bomba atômica em show transmitido pela televisão estatal ao apertar um botão vermelho em imitação de mala nuclear antes de fogos de artifício explodirem ao seu redor.

    Em uma mensagem no X facilitada por aliados, Navalny descreveu uma rotina matinal surreal.

    “O cantor Shaman ficou famoso depois que eu já estava na prisão, então eu não consegui vê-lo ou ouvir sua música. Mas eu sabia que ele havia se tornado o principal cantor de Putin. E que sua principal música é ‘Eu sou russo'”, escreveu Navalny.

    “Claro que fiquei curioso para ouvi-la, mas onde conseguiria fazer isso na prisão? E então eles me levaram para Yamal (local da prisão no Ártico). E aqui, todo dia às 5h da manhã, ouvimos o comando ‘Levantem!’, seguido do hino nacional russo e, imediatamente depois, a segunda música mais importante do país é tocada — ‘Eu sou russo’, do Shaman”.

    A ironia, segundo Navalny, é que a propaganda estatal já ressaltou que ele costumava acompanhar nacionalistas russos em marchas anuais e agora, anos depois, estava ouvindo uma música pop ultra-nacionalista com propósitos educacionais enquanto faz seus exercícios matinais na prisão.

    “Sendo honesto, ainda não tenho certeza se entendo corretamente o que pós-ironia e meta-ironia são. Mas se não for isso, o que poderia ser?”, brincou Navalny.

    (Reportagem de Andrew Osborn)