‘Pandemia em Cuba é consequência do declínio da economia’, diz professor da UERJ

À CNN, professor de relações internacionais, Maurício Santoro, explica como a Covid-19 evidenciou o quanto a maioria dos países depende de recursos externos

Produzido por Renata Souza*, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Um levantamento da Universidade de Oxford aponta que Cuba registra cerca de 800 casos de Covid-19 a cada 1 milhão de habitantes. Quase 8.900 casos foram registrados nas últimas 24 horas. Em entrevista à CNN, o professor de Relações Internacionais da UERJ, Maurício Santoro, explica que este agravamento tem relação com a queda na economia e o rombo nos cofres públicos.

“É realmente uma situação muito grave, e isso é uma consequência do declínio da economia cubana por conta da pandemia. É um país que depende muito do turismo internacional, sobretudo da Europa, e este é o setor que foi absolutamente devastado por conta do coronavírus. Isso deixou o governo cubano com recursos muito escassos  para manter o seu sistema de saúde. Faltam insumos básicos, a seringa, a agulha, o oxigênio.”

O professor explica que esta situação levou cubanos a protestarem nas ruas contra o governo vigente. As forças política e militar, no entanto, reprimiram os manifestantes com violência, e devido a isso, países estrangeiros estão reticentes em colaborar com a ilha.

“A repressão política a estas manifestações tornou a cooperação internacional mais difícil com Cuba, seja pelos Estados Unidos, seja pela União Europeia. Há um receio muito grande agora que signifique, de algum modo, um apoio a esse tipo de repressão política.”

Maurício analisa que a pandemia de Covid-19 deixou às claras o quanto a maioria dos países são dependentes de insumos médicos importados da China e da Índia. “Mesmo países que têm a capacidade de fabricar sua própria vacina, muitas vezes não conseguem aplicar, porque faltam estes instrumentos e medicamentos. No caso de Cuba, até mesmo falta seringa e agulha. Todos nós dependemos uns dos outros.”

O professor explica que em Cuba há uma rede de saúde pública eficaz para momentos normais, mas o encolhimento da economia está afetando o funcionamento. “A economia de Cuba encolheu 10% no ano passado por causa desta queda no turismo, por causa destas reduções nas remessas e de uma safra muito ruim de cana-de-açúcar, que é o principal produto agrícola de exportação do país. Tudo que podia dar errado deu.”

Pandemia de Covid-19 em Cuba (07-08-2021)
Pandemia de Covid-19 em Cuba (07-08-2021)
Foto: CNN / Reprodução

*(sob supervisão de Letícia Vidica)

Mais Recentes da CNN