Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ucrânia acusa Rússia de atacar hospital; universidade e prédio público foram atingidos

    Estruturas ficam a menos de 1km de hospital e maternidade atingidos hoje

    Paul P. Murphy, Katie Polglase, Celine Alkhaldi, Gianluca Mezzofiore, Anatasia Graham-Yooll e Mariya Knightda CNN

    Um prédio da administração da cidade e uma universidade em Mariupol, na região sul da Ucrânia, podem ter sido alvos do mesmo bombardeio russo que as autoridades ucranianas disseram nesta quarta-feira (9) ter atingido uma maternidade e um hospital infantil . As estruturas ficam a menos de 1km das unidades de saúde atingidas.

    A CNN conseguiu identificar a Universidade Técnica Estadual de Pryazov e o prédio da Administração do Conselho Municipal de Mariupol como o segundo local do suposto ataque militar em Mariupol. Vídeos postados em mídias sociais foram geolocalizados e verificados como autênticos pela CNN. Os vídeos mostram uma destruição significativa no prédio da universidade e do conselho da cidade.

    Em uma das sequências de imagem e som, um alarme é ouvido ecoando quando os restos de uma minivan são vistos. O vídeo mostra os prédios destruídos e a rua coberta de detritos. Explosões são ouvidas no vídeo, mas não está claro o que causou a destruição.

    “Este é [PSTU]”, diz um homem no vídeo, referindo-se à sigla da universidade. Outro vídeo mostra os restos de um restaurante no térreo de um dos prédios bombardeados.

    “Por trás da luta, como você pode ouvir”, disse o homem. Um terceiro vídeo mostra que uma parte de um prédio desabou.

    A explosão nos prédios apontados como sendo da universidade e da prefeitura ocorreu ao mesmo tempo da explosão no hospital infantil e na maternidade.

    Versão ucraniana

    Imagens divulgadas no perfil oficial do Twitter do Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia mostram a fachada de um prédio com marcas de explosão. “Hoje, a Rússia bombardeou um hospital infantil e uma maternidade em Mariupol”, acusa o Ministério.

    CNN não conseguiu verificar de forma independente se o hospital estava em operação e se havia pessoas no local.

    Versão da Rússia

    Horas antes do bombardeio condenado pelo governo ucraniano, a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, acusou a Ucrânia de estabelecer posições de combate na região do hospital e em outras áreas atingidas.

    Em um pronunciamento, Zakharova disse que “em Mariupol, os batalhões nacionais ucranianos estão expulsando funcionários e pacientes da maternidade, e equiparam posições de combate”.

    A porta-voz russa ainda afirmou que havia “vários vídeos refutando as versões falsas ucranianas, confirmando que os crimes de Kiev contra seus próprios cidadãos são abundantes e estão em domínio público”.