Preocupada com a variante Delta, Arábia Saudita limita Hajj a 60.000 peregrinos

Para participar da peregrinação até Meca, sauditas devem estar saudáveis e totalmente vacinados

Mostafa Salem, da CNN

Ouvir notícia

 

A decisão da Arábia Saudita de restringir o Hajj pelo segundo ano consecutivo, permitindo a participação de apenas um número limitado de peregrinos saudáveis e totalmente vacinados, surgiu após preocupações com a disseminação da variante Delta da Covid-19, disse o vice-ministro da Arábia Saudita para Saúde Pública Hani Jokhdar à CNN.

“Decidimos este ano que precisamos olhar para todo o portfólio mundial. Não é só nosso portfólio. Estávamos preocupados com a variante Delta. Estávamos preocupados com essa variante e como ela supera e responde a duas doses da vacina”, disse Hani Jokhdar.

O reino restringiu o Hajj a 60.000 peregrinos este ano, depois de receber quase 600.000 inscrições.

“Não queremos que a Arábia Saudita seja o foco de uma chuva ou transbordamento da variante D em países onde sua taxa de vacinação não é tão boa, ou o sistema de saúde não é tão bom em termos de capacidade”, acrescentou.

(Texto traduzido, clique aqui e leia o original em inglês).

Peregrinos muçulmanos do Hajj, em agosto de 2019
Peregrinos muçulmanos do Hajj, em agosto de 2019
Foto: Anadolu Agency / Getty Images

Mais Recentes da CNN