Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Rússia recebeu centenas de drones para atacar a Ucrânia, dizem EUA

    De acordo com a Casa Branca, veículos não tripulados foram enviados pelo Irã, que vem dominando a tecnologia; sanções ao país não impediu o envio de material militar para os russos

    Drones durante um exercício militar em um local não revelado no Irã; país aprimorou sua tecnologia de veículos não tripulados
    Drones durante um exercício militar em um local não revelado no Irã; país aprimorou sua tecnologia de veículos não tripulados West Asia News Agency/Reuters

    Da Reuters

    A Casa Branca disse nesta sexta-feira que a Rússia parece estar aprofundando sua cooperação de defesa com o Irã e recebeu centenas de drones de ataque unidirecional que está usando para atacar a Ucrânia.

    Citando informações recentemente desclassificadas, a Casa Branca disse que os drones, ou Uncrewed Aerial Vehicles (UAVs), foram construídos no Irã, enviados pelo Mar Cáspio e depois usados pelas forças russas contra a Ucrânia.

    “A Rússia tem usado UAVs iranianos nas últimas semanas para atacar Kiev e aterrorizar a população ucraniana, e a parceria militar Rússia-Irã parece estar se aprofundando”, disse o porta-voz da Casa Branca, John Kirby, em comunicado. “Também estamos preocupados com o fato de a Rússia estar trabalhando com o Irã para produzir UAVs iranianos de dentro da Rússia”.

    Kirby disse que os Estados Unidos tinham informações de que a Rússia estava recebendo materiais do Irã necessários para construir uma fábrica de drones que poderia estar totalmente operacional no início do próximo ano.

    “Estamos divulgando imagens de satélite da localização planejada desta fábrica de UAV na Zona Econômica Especial de Alabuga, na Rússia”, disse ele.

    Os EUA já haviam sancionado executivos iranianos em um fabricante de defesa por causa do fornecimento de drones para a Rússia. O Irã reconheceu o envio de drones para a Rússia, mas disse que eles foram enviados antes da invasão da Rússia em fevereiro. Moscou negou que suas forças tenham usado drones iranianos na Ucrânia. Um funcionário da Casa Branca disse que o Irã transferiu várias centenas de drones para a Rússia desde agosto.

    O apoio entre o Irã e a Rússia está fluindo nos dois sentidos, disse Kirby, com o Irã buscando bilhões de dólares em equipamentos militares da Rússia, incluindo helicópteros e radares.

    “A Rússia tem oferecido ao Irã uma cooperação de defesa sem precedentes, inclusive em mísseis, eletrônicos e defesa aérea”, disse ele.

    “Esta é uma parceria de defesa em grande escala que é prejudicial à Ucrânia, aos vizinhos do Irã e à comunidade internacional. Continuamos a usar todas as ferramentas à nossa disposição para expor e interromper essas atividades, inclusive compartilhando isso com o público – e estamos preparados para fazer mais.”

    Kirby disse que as transferências de drones constituíam uma violação das regras das Nações Unidas e que os Estados Unidos buscariam responsabilizar os dois países.

    Grã-Bretanha, França, Alemanha, Estados Unidos e Ucrânia dizem que o fornecimento de drones de fabricação iraniana para a Rússia viola uma resolução do Conselho de Segurança da ONU de 2015 que consagra o acordo nuclear com o Irã.

    De acordo com a resolução da ONU de 2015, um embargo de armas convencionais ao Irã estava em vigor até outubro de 2020.

    Uma visão geral mostra uma rua vazia e edifícios danificados por um ataque militar russo em Bakhmut / , Ucrânia, 3 de março de 2023. REUTERS/Oleksandr Ratushniak

    A Ucrânia e as potências ocidentais argumentam que a resolução inclui restrições a mísseis e tecnologias relacionadas até outubro de 2023 e pode abranger a exportação e compra de sistemas militares avançados, como drones.

    As missões iraniana e russa nas Nações Unidas não responderam imediatamente a um pedido de comentário sobre as acusações dos EUA.

    “Continuaremos a impor sanções aos atores envolvidos na transferência de equipamento militar iraniano para a Rússia para uso na Ucrânia”, disse Kirby.

    Ele disse que um novo comunicado dos EUA emitido na sexta-feira visa “ajudar empresas e outros governos a entender melhor os riscos apresentados pelo programa UAV do Irã e as práticas ilícitas que o Irã usa para adquirir componentes para ele”.

    O comunicado destacou os principais itens procurados pelo Irã para o desenvolvimento de drones, incluindo eletrônicos, como processadores e controladores.

    (Publicado por Fábio Mendes)