Rússia retomou bombardeios em Mariupol após saída de ônibus de evacuação

Segundo assessor da prefeitura da cidade, ataques à siderúrgica continuam nesta segunda-feira (2)

Usina de aço em Mariupol teve telhados totalmente destruídos
Usina de aço em Mariupol teve telhados totalmente destruídos Reprodução/CNN

Pavel Polityukda Reuters

Ouvir notícia

A Rússia retomou o bombardeio da siderúrgica Azovstal, na cidade ucraniana de Mariupol, já no domingo (1), assim que os ônibus que retiraram os civis da usina partiram, disse um assessor do prefeito da cidade nesta segunda-feira (2).

Mariupol, que viu os combates mais pesados da guerra na Ucrânia até o momento, está em grande parte nas mãos dos russos, mas um número desconhecido de civis e combatentes permanece preso na siderúrgica, cuja rede de bunkers e túneis fornece abrigo após semanas de bombardeio russo.

“Ontem, assim que os ônibus deixaram Azovstal com os evacuados, novos bombardeios começaram imediatamente”, disse Petro Andryushchenko, assessor do prefeito, à televisão ucraniana.

Retirada de civis

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) trabalhou com a Organização das Nações Unidas (ONU) em uma operação para retirar as pessoas de Mariupol e de Azovstal, segundo comunicado da entidade.

“O CICV confirma uma operação de passagem segura, em coordenação com a ONU e as partes em conflito. O comboio de evacuação de civis começou em 29 de abril, percorreu cerca de 230 quilômetros e chegou à usina de Mariupol na manhã de sábado, hora local”, segundo o comunicado.

Mais Recentes da CNN