Talibã condena à morte irmão de tradutor afegão que atuou com tropas dos EUA

Carta obtida pela CNN acusa homem de 'ajudar os americanos' e é mais um indício que a alegada 'moderação' do grupo não está sendo aplicada

Brianna KeilarVeronica Stracqualursida CNN

Ouvir notícia

O Talibã condenou à morte o irmão de um tradutor afegão, segundo cartas obtidas pela CNN, acusando-o de ajudar os Estados Unidos e fornecer segurança a seu irmão, que serviu como intérprete para as tropas americanas. Um ex-militar que trabalhou com o tradutor confirmou seu serviço e a situação de seu irmão.

As cartas são apenas um exemplo de como o Talibã está ameaçando diretamente os afegãos que trabalharam com os EUA ou são parentes daqueles que trabalharam, deixando-os lutando para fugir do país após a tomada do Afeganistão pelo grupo.

“Você foi acusado de ajudar os americanos”, escreveu o Talibã na primeira das três cartas ao afegão, acrescentando: “Você também é acusado de fornecer segurança a seu irmão, que era intérprete”.

A primeira carta do Talibã, escrita à mão, ordena que o homem compareça a uma audiência. A segunda carta manuscrita é um aviso de que ele não compareceu à audiência.

Na terceira carta, que é datilografada, o Talibã notifica o homem que, por rejeitar advertências anteriores para parar “sua servidão aos cruzados invasores” e ignorar uma intimação para comparecer a uma audiência, ele era “culpado à revelia” e será condenado à morte.

O Talibã entregou as cartas nos últimos três meses ao irmão do intérprete, de acordo com o ex-militar que trabalhou com o intérprete.

Carta do Talibã obtida pela CNN mostra grupo sentenciando irmão de tradutor afegão, que trabalhou com os EUA, à morte / Reprodução/CNN

A CNN não está identificando o afegão, nem o membro de sua família, para proteger suas identidades em meio às ameaças que enfrentam. As cartas, que foram escritas em pashto e traduzidas para o inglês para a CNN, têm selos que correspondem aos das cartas de arquivo do Talibã.

“Essas decisões judiciais são finais e você não terá o direito de se opor”, diz a terceira carta. “Você escolheu este caminho para si mesmo e sua morte é eminente, se Deus quiser”.

Leia abaixo as cartas na íntegra, em inglês.

As cartas contradizem as garantias que o porta-voz do Talibã, Zabiullah Mujahid, fez em uma coletiva de imprensa na semana passada, enquanto o grupo tenta projetar uma imagem mais moderada para o mundo. “Ninguém será prejudicado no Afeganistão”, disse Mujahid. “Claro, há uma grande diferença entre nós agora e 20 anos atrás.”

Os aliados afegãos dos EUA duvidam disso, e essas cartas e numerosos relatórios do Talibã em busca de retaliação explicam por que muitos afegãos temem que o Talibã volte a impor seu regime brutal e opressor.

O governo Biden está sob intensa pressão para evacuar não apenas os candidatos ao visto especial de imigrante afegão, mas também outros afegãos vulneráveis ​​que temem por suas vidas. O governo tem trabalhado para administrar a aglomeração de pessoas que tentam fugir do país em voos de evacuação de Cabul, enquanto cenas caóticas acontecem há dias fora do Aeroporto Internacional Hamid Karzai.

*Jennifer Hansler, da CNN, contribuiu para esta reportagem

Mais Recentes da CNN