Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Veja os possíveis escolhidos da Nasa para a Artemis II e o que se sabe da missão

    Os quatros astronautas, três americanos e um canadense, serão revelados nesta segunda-feira (3)

    Artemis da Nasa captura a superfície da lua
    Artemis da Nasa captura a superfície da lua Nasa TV

    Jackie WattlesKristin Fisherda CNN

    Quatro astronautas – três americanos e um canadense – serão escolhidos pela Nasa para completar uma missão que definirá uma geração na órbita da lua, levando os humanos a uma profundidade maior no sistema solar do que foi alcançado em cinco décadas.

    Após meses de tomada de decisão a portas fechadas, os funcionários da agência espacial planejam revelar os nomes dos membros da tripulação em uma cerimônia marcada para esta segunda-feira (3).

    Programado para ser lançado em 2024, a Artemis II será a primeira missão tripulada do programa a orbitar a lua, voando mais longe no espaço do que qualquer ser humano desde o programa Apollo.

    Ela abrirá o caminho para a tripulação do Artemis III caminhar na lua em 2025, tudo a bordo do foguete mais poderoso do mundo e a um preço que chegará a US$ 100 bilhões.

    Embora as autoridades tenham permanecido de boca fechada sobre suas escolhas, a CNN conversou anteriormente com quase uma dúzia de atuais e ex-funcionários da Nasa e astronautas para descobrir mais sobre o processo de seleção secreta.

    Os nomes em alta

    Reid Wiseman, um aviador naval condecorado de 47 anos e piloto de testes que foi selecionado pela primeira vez para ser um astronauta da Nasa em 2009, está no topo da lista.

    Wiseman serviu como chefe do escritório de astronauta até novembro de 2022.

    Embora o chefe não tenha permissão para voar enquanto ocupa o cargo, eles são capazes de disputar as melhores atribuições de voo ao deixar o cargo, uma “vantagem reconhecida” do trabalho, de acordo com ex- Astronauta da Nasa Garrett Reisman.

    Antes de deixar o cargo de chefe dos astronautas, Wiseman também foi responsável pela decisão de ampliar o grupo de astronautas qualificados para voar para incluir a si mesmo.

    Embora a Nasa tenha inicialmente considerado 18 astronautas como a “Equipe Artemis” e elegíveis para voar em missões lunares, Wiseman expandiu o grupo de candidatos para todos os 41 astronautas ativos da agência.

    Pessoas familiarizadas com o processo também disseram à CNN que, junto com Wiseman, há um punhado de outros candidatos no topo da lista.

    • Victor Glover, um aviador naval de 46 anos que voltou à Terra de seu primeiro voo espacial em 2021 depois de pilotar o segundo tripulado voo da espaçonave Crew Dragon da SpaceX e passou quase seis meses a bordo da Estação Espacial Internacional. O veterano de quatro caminhadas espaciais obteve um mestrado em engenharia enquanto trabalhava como piloto de testes.
    • Randy Bresnik, 55, também é um condecorado aviador naval e piloto de testes que realizou missões de combate em apoio à Operação Iraqi Freedom. Ele voou duas missões para a Estação Espacial Internacional: uma no Ônibus Espacial, outra em uma espaçonave russa Soyuz. Bresnik é frequentemente mencionado como um dos principais candidatos ao Artemis porque, desde 2018, ele supervisiona o desenvolvimento e o teste do escritório de astronautas de todos os foguetes e espaçonaves que serão usados nas missões Artemis.
    • Anne McClain, 43, é uma condecorada piloto do exército e graduada em West Point que voou em mais de 200 missões de combate em apoio à Operação Iraqi Freedom e se formou na Escola Naval de Pilotos de Teste dos EUA em 2013, mesmo ano em que foi selecionada para ser uma astronauta da Nasa. Após o lançamento em uma espaçonave russa Soyuz em 2018, ela passou mais de 200 dias na Estação Espacial Internacional e atuou como líder de duas caminhadas espaciais.
    • Stephanie Wilson é a astronauta mais antiga nesta lista. Aos 56 anos, ingressou na turma de astronautas da Nasa em 1996 e atuou como especialista em missões em três voos do Ônibus Espacial, incluindo o primeiro após o desastre do Columbia em 2003, que matou sete astronautas.
    • Christina Koch, 44, é uma veterana de seis caminhadas espaciais. Ela detém o recorde de voo espacial mais longo de uma mulher, com um total de 328 dias no espaço. Koch também é uma engenheira elétrica que ajudou a desenvolver instrumentos científicos para várias missões da Nasa. Ela também passou um ano no Pólo Sul, uma estada árdua que pode muito bem prepará-la para a intensidade de uma missão lunar.
    • Jessica Meir é uma bióloga de 45 anos com doutorado pela Scripps Institution of Oceanography. Ela foi membro de uma missão da Nasa Extreme Environment Mission Operations em 2002, que envolveu passar dias em uma instalação de pesquisa subaquática e, em 2016, completou uma missão de espeleologia de duas semanas na Itália.

    Koch e Meir conduziram juntas as três primeiras caminhadas espaciais femininas em 2019 e 2020.

    Completando a tripulação do Artemis II estará uma astronauta do Canadá, termos que foram consolidados em um tratado de 2020 entre os dois países.

    A Agência Espacial Canadense atualmente tem um quadro de apenas quatro astronautas, mas entre eles, Jeremy Hansen gerou o maior burburinho.

    Hansen foi selecionado para ser um astronauta há quase 14 anos, mas ainda está esperando por sua primeira missão de voo.

    O piloto de caça de 47 anos se tornou recentemente o primeiro canadense a ser encarregado do treinamento de uma nova classe de astronautas da Nasa.

    Mais representação no espaço

    A Nasa também se comprometeu anteriormente a selecionar uma tripulação com diversidade racial, de gênero e profissional. Esses critérios não têm sido historicamente o caso de missões de alto perfil.

    Voltando à era do Porjeto Gemini, os astronautas selecionados para as missões tripuladas inaugurais eram apenas brancos e do sexo masculino, e normalmente vinham de um histórico como piloto de teste militar.

    Isso aconteceu durante o mais recente voo tripulado inaugural da Nasa, da cápsula Crew Dragon da SpaceX para a Estação Espacial Internacional em 2020, que incluiu os ex-pilotos de teste militares Bob Behnken e Doug Hurley.

    E pode ser verdade principalmente para a missão Artemis II também: quase uma dúzia de atuais e ex-funcionários da Nasa e astronautas disseram à CNN que esperavam que vários pilotos de teste fossem nomeados.

    No entanto, se Wiseman, um homem branco, for selecionado, isso significa que as outras vagas quase certamente precisarão ir para pelo menos uma mulher e pelo menos uma pessoa de cor.

    O que vem a seguir para Artemis

    A missão Artemis II será baseada na Artemis I, uma missão de teste não tripulada que enviou a cápsula Orion da Nasa em uma viagem de 2,2 milhões de quilômetros para dar uma volta na lua, concluída em dezembro.

    A agência espacial considerou a missão um sucesso e ainda está trabalhando para revisar todos os dados coletados. Se tudo correr conforme o planejado, o Artemis II decolará por volta de novembro de 2024.

    Os membros da tripulação, presos dentro da espaçonave Orion, serão lançados no topo de um foguete do Sistema de Lançamento Espacial desenvolvido pela Nasa do Centro Espacial Kennedy, na Flórida.

    Espera-se que a jornada dure cerca de 10 dias e enviará a tripulação para além da lua, potencialmente mais longe do que qualquer ser humano já viajou na história, embora a distância exata ainda não tenha sido determinada.

    A “distância exata além da Lua dependerá do dia da decolagem e da distância relativa da Lua à Terra no momento da missão”, disse a porta-voz da Nasa, Kathryn Hambleton, por e-mail.

    Depois de circular a lua, a espaçonave retornará à Terra para um pouso no Oceano Pacífico.

    Espera-se que Artemis II abra caminho para a missão Artemis III no final desta década, que a Nasa prometeu colocar a primeira mulher e pessoa de cor na superfície lunar.

    Também marcará a primeira vez que os humanos pousaram na lua desde o fim do programa Apollo em 1972.

    Espera-se que a missão Artemis III decole ainda nesta década. Mas grande parte da tecnologia que a missão exigirá, incluindo trajes espaciais para caminhar na lua e um módulo lunar para transportar os astronautas até a superfície da lua, ainda está em desenvolvimento.

    A Nasa tem como meta uma data de lançamento de 2025 para o Artemis III, embora o inspetor geral da agência espacial já tenha dito que os atrasos provavelmente levarão a missão para 2026 ou mais tarde.