São Paulo deverá bater recorde de calor até domingo


Estadão Conteúdo
11 de setembro de 2020 às 15:16 | Atualizado 11 de setembro de 2020 às 15:22
Calor spFoto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

Diante dos dias mais quentes registrados desde o início do mês, a Defesa Civil Estadual emitiu um alerta de risco de temperaturas elevadas, baixa umidade relativa do ar e sensação de calor intenso no estado de São Paulo até o próximo domingo (13). Regiões do interior, norte e oeste paulista devem registrar temperaturas de até 38ºC.

"Esse calor é decorrente dos ventos que sopram do interior do continente somados à presença do sol e ausência de nuvens. A umidade relativa do ar também pode ficar abaixo de 15% no período vespertino em praticamente todas as regiões do estado", disse, em nota.

Leia também:

Capitais brasileiras batem recordes de calor

O que fazer se você estiver suando de máscara?

Segundo a Climatempo, um novo recorde de calor poderá ser estabelecido na capital paulista até o próximo sábado (12). Entre os dias 4 e 6 de setembro, as temperaturas na capital paulista passaram dos 30°C, enquanto a umidade do ar ficou abaixo dos 20% com menor valor do mês no dia 6, quando foi registrado 15% de umidade mínima.

O recorde de temperatura dentro do mês de inverno foi registrado no dia 4 de setembro, quando fez 32,8 °C na estação do Mirante de Santana do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), 0,9°C a menor que o registro da maior temperatura dentro do ano de 2020, que foi de 33,7°C, em 27 de janeiro.

A primavera vai começar no próximo dia 22 e as médias de temperatura registradas em setembro são realmente mais altas se comparadas aos outros meses anteriores do inverno.

Evite exercícios ao ar livre

Além das recomendações para distanciamento social e uso de máscara por causa da pandemia de covid-19, a Defesa Civil também recomenda que as pessoas evitem exercícios físicos ao ar livre nos períodos mais quentes.

Focos de incêndios

As temperaturas mais elevadas e a umidade relativa do ar muito baixa aumentam a incidência de incêndios em cobertura vegetal. "A Defesa Civil, juntamente com o Corpo de Bombeiros, atua de forma constante para combater focos de queimadas, principalmente neste período de seca", destacou.

Iniciada em 1º de junho, a operação estiagem segue até o dia 30 de setembro durante período que é marcado pela falta de chuvas, baixa umidade relativa do ar e altas temperaturas, que contribuem para o aumento de focos de incêndios.