Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Aluna denuncia professor da UFPR por episódios de assédio moral

    Vídeo com gravações de aulas viralizou nas redes sociais; "Eu mando nessa merd*, eu dou as ordens", grita o professor

    Prédio histórico da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba, na praça Santos Andrade.
    Prédio histórico da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba, na praça Santos Andrade. Rodrigo Juste Duarte

    Carolina FigueiredoLéo Lopesda CNN

    em São Paulo

    Uma aluna da Universidade Federal do Paraná (UFPR) denunciou em rede social um professor por uma série de episódios de assédio moral.

    A faculdade informou que abriu processo de investigação depois que um vídeo com gravações das aulas viralizou nas redes sociais. A identidade do professor denunciado não foi revelada.

    Na publicação, que já tem cerca de 350 mil curtidas no TikTok e outros 30 mil likes em uma republicação no Twitter, é possível ouvir o professor gritando com uma aluna, que escreveu: “Você adoece depois de seis anos nessa.”

    “Você vai me dizer o que eu tenho que fazer”, diz o professor no vídeo. “Eu mando nessa merd*, eu dou as ordens, eu dou o sentido”, acrescenta, enquanto dá socos na mesa.

    @anafideliss você adoece depois de 6 anos nessa. #assediomoral #saudemental #universidadefederal #universitario #sanidademocional ♬ som original – Ana Paula Fidélis


    Em outro momento, é possível ouvir ele falando: “O trabalho de vocês está uma merd*, um desprezo total, um desleixo. Escrito com uma letra parecendo um eletrocardiograma. P*rra, pega alguém da equipe e escreve essa p*rra. Vai lá e datilografa essa p*rra.”

    Na legenda do vídeo, a aluna explica que os gritos do professor começaram porque ele “marcou atividade fora do horário da aula”, e ela precisou ir em outro horário porque coincidia com seu estágio.

    Nos comentários, pediram que ela abrisse um processo na auditoria da UFPR. “Já tentaram fazer uma denúncia e não foi dado continuidade por parte da universidade”, respondeu a aluna

    Em nota enviada à CNN, a UFPR informou que, “com relação ao vídeo que está circulando nas redes sociais, apura devidamente o caso, já em processo de investigação”.

    “Ressaltamos que a UFPR não compactua com nenhuma forma de discriminação ou violência, seja ela física, verbal ou simbólica”, acrescenta a universidade.

    “O estudante ou membro da comunidade que presenciar qualquer situação deve realizar denúncia via Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis, Superintendência de Inclusão, Políticas Afirmativas e Diversidade ou pela ouvidoria institucional”, conclui o comunicado.