Após 3 dias de apagão, governo projeta normalizar 70% do Amapá até esta sexta

O estado enfrenta um apagão desde terça, após incêndio numa subestação de energia de Macapá, que começou durante uma forte chuva, acompanhada de raios

Das 16 cidades do Amapá, apenas Oiapoque, Laranjal do Jari e Vitória do Jari contam com o fornecimento de energia regular
Das 16 cidades do Amapá, apenas Oiapoque, Laranjal do Jari e Vitória do Jari contam com o fornecimento de energia regular Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Por Giovanna Bronze, da CNN,

em São Paulo

Ouvir notícia

 

O estado do Amapá, que sofre com a queda da força elétrica desde terça-feira (03), possui a perspectiva de recuperação da energia entre 60 e 70%. A informação foi divulgada pelo governador Waldez Góes após reunião o Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque.

Nesta quinta-feira (05), Bento Albuquerque, se reuniu com o governador do Amapá para discutir maneiras de restabelecer a energia no estado. Conforme apurou a CNN, a situação é considerada preocupante pelos moradores do Amapá: dos 16 municípios, 13 são afetados diretamente – e ainda não há uma previsão concreta de quando a situação será normalizada.

De acordo com publicação do governador sobre a reunião, a equipe técnica do Ministério de Minas e Energia informou que “existe uma perspectiva de recuperação ainda de 60% a 70% da carga no estado”, “a depender dos testes que serão realizados em um dos transformadores”.

Ainda segundo Góes, o Amapá receberá geradores complementares para restabelecer o fornecimento de energia do estado. “O ministro destacou que também foram iniciados os preparativos de um transformador que está na subestação de Laranjal do Jari”, escreveu, “que deve chegar na capital no prazo de 15 dias”.

Leia também:
Polícia Federal usa “DNA” de madeira para rastrear extração ilegal

Brasil tem mais de 3 mil espécies ameaçadas de extinção, afirma IBGE

 

Outro gerador, segundo o governador, será levado de Boa Vista, em Roraima, até o Amapá, com prazo de até 30 dias. 

Por volta das 20h47 da última terça-feira, segundo o Ministério de Minas e Energia, uma interrupção de carga elétrica afetou o suprimento de energia à capital do estado do Amapá, Macapá. 

De acordo com a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), 13 dos 16 municípios do estado foram diretamente afetados pela queda de energia, com exceção de Oiapoque, Laranjal do Jari e Vitória do Jari. 

Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o corte na rede ocorreu após um incêndio em um transformador da Subestação do Macapá, resultando no desligamento automático das linhas de transmissão no estado. 

O Ministério de Minas e Energia informou ontem (04) que expediu uma portaria que institui o Gabinete de Gestão de Crise com participação da ONS, Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), Eletrobras e da LMTE para “atuação integrada de todos visando a buscar o rápido estabelecimento de condições normais de fornecimento de energia ao estado”.

Viagem emergencial para Macapá foi articulada por Alcolumbre

Às 22h26 da quarta-feira (04), o governador publicou uma foto recepcionando o ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque, que viajou ao estado para integrar o gabinete de crise que visa restabelecer a energia no Amapá. 

Segundo Góes, a viagem foi articulada pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre. Também viajaram os diretores da Aneel André Pepitone e da ONS, Sinval Zaidan. 

Na manhã desta quinta-feira, o ministro e os diretores se reuniram com Góes para discutir a situação e determinar os próximos passos do Gabinete de Crise.

Tópicos

Mais Recentes da CNN