Com Cidade do Samba aberta, escolas do Rio esperam verba para produzir Carnaval

Prefeitura ainda não tem data para repasse. Agremiações desfilam na Marquês de Sapucaí nos dias 27 e 28 de fevereiro do ano que vem

Foto: Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa)

Beatriz Puente, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Faltando seis meses para o Carnaval, a maioria das escolas de samba do Rio de Janeiro já retornou aos barracões da Cidade do Samba para preparar o desfile de 2022. No entanto, somente atividades administrativas, de limpeza e organização têm sido feitas no espaço, com um número reduzido de pessoas. Os trabalhos de produção de fantasias e carros alegóricos ainda dependem do repasse da prefeitura para serem iniciados.

Apesar dos barracões abertos após a Justiça suspender a interdição da Cidade do Samba no último mês, as agremiações precisam da liberação de receita para comprar materiais, matéria-prima e iniciar os trabalhos nos ateliês. Os cronogramas de montagem, por enquanto, estão mantidos, mas a principal preocupação é com a contratação de profissionais. A São Clemente, por exemplo, informou que, apesar da animação para o próximo Carnaval, ainda não há previsão do repasse.

“Para a São Clemente é fundamental a liberação da verba para dar início aos trabalhos e cumprir o planejamento dentro do tempo. A escola está andando com seu cronograma, lançou a sinopse, os sambas estão sendo feitos, os figurinos. Mas não há ainda um posicionamento, de fato, sobre repasse. A escola está parada sem receita nenhuma. O presidente Renatinho acredita que, com a verba sendo liberada, tudo vai correr dentro do prazo”, diz a nota enviada pela agremiação.

A situação na Estação Primeira de Mangueira não é muito diferente. O carnavalesco da escola, Leandro Vieira, explicou que a pandemia impossibilitou que a escola gerasse renda para custear a retomada das mínimas atividades enquanto o repasse não é depositado.  

“No caso da Mangueira, o trabalho segue parado aguardando uma previsão concreta de verba para que, após o repasse, seja possível a recontratação dos profissionais envolvidos com as atividades manuais e artísticas do próximo desfile”, esclareceu o carnavalesco.

O vice-presidente da Portela, Fábio Pavão, explicou que o período após o fim do Carnaval e o novo repasse para o próximo desfile é um momento no qual as escolas se sustentam com eventos nas quadras. Com o início da pandemia em março de 2020, as agremiações estão sem renda há mais de um ano e meio.

“A expectativa é de que (o repasse) entre ainda esse mês. Tem que entrar no máximo em setembro para termos uma gordura, um tempo bom para avançar. Agora, retomamos a produção dos protótipos com sete ou oito funcionários. Depois, vamos avançar com a contratação de gente”, afirmou o portelense.

Questionada sobre a previsão dos recursos, a Riotur, empresa de turismo da Prefeitura do Rio de Janeiro, informou que ainda não definiu uma data para a transferência. A Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) informou à CNN que a previsão é de que o pagamento seja feito ainda este mês ou no início de setembro. O prazo, segundo a entidade, costuma ser a partir de outubro, mas deve ser antecipado este ano.

“A expectativa é de que as escolas tenham um cronograma bem mais folgado do que tem acontecido. Ainda mais porque o Carnaval de 2022 será nos dois últimos dias de fevereiro”, divulgou a assessoria de imprensa da Liesa.

No mês passado, a Cidade do Samba, onde são confeccionados os carros alegóricos e as fantasias das escolas do grupo especial, foi liberada pela Justiça. O espaço, na Zona Portuária do Rio, estava interditado desde 11 de janeiro, a pedido do Ministério Público, para que as instalações fossem reestruturadas para reduzir os riscos de incêndio.

Na próxima quinta-feira (12), será aberta a pré-reserva de camarotes na Marquês de Sapucaí para o desfile das escolas de samba do grupo especial, que estão marcados para os dias 27 e 28 de fevereiro. Já o Sábado das Campeãs acontece no dia 4 de março. A apuração dos resultados será realizada na Quarta-Feira de Cinzas, dia 2 de março. Em breve, serão divulgadas as datas para a comercialização dos ingressos das arquibancadas.

Apesar dos preparativos, a realização da festa ainda depende da situação da pandemia de Covid-19 e da vacinação com as duas doses contra o coronavírus dos cariocas.

Preparativos para Réveillon no Rio já começaram  

A Prefeitura do Rio de Janeiro lançou na sexta-feira (6) o edital para o Réveillon de 2022. Serão dez palcos espalhados pela cidade e outros três em Copacabana, bairro que há anos promove uma das maiores festas de Ano Novo do mundo.

Segundo a Riotur, são esperadas 2 milhões de pessoas apenas em Copacabana. As atrações serão todas brasileiras, mas o palco principal contará com um artista internacional de renome. Outra novidade para esta virada será o retorno da queima de fogos no alto da Igreja da Penha, que possui 382 degraus até o acesso.

Mais Recentes da CNN