Comissão apresenta passaporte da vacinação como protocolo para o Carnaval no RJ

Veredito sobre normas será dado na próxima semana, com o Comitê Científico

Prefeitura do Rio de Janeiro planeja 40 dias de festa no Carnaval de 2022
Prefeitura do Rio de Janeiro planeja 40 dias de festa no Carnaval de 2022 Fernando Frazão/Agência Brasil

Beatriz PuenteCamille Coutoda CNN

Ouvir notícia

O presidente da Comissão Especial do Carnaval do Rio de Janeiro, o vereador Tarcísio Motta (PSOL), se reuniu nesta sexta-feira (1º) com especialistas e representantes de blocos e escolas de samba para apresentar os indicadores e protocolos que serão levados em conta na programação da festa do ano que vem.

Para os desfiles na Apoteose, a exigência de apresentar o passaporte da vacinação foi uma das sugestões, assim como a testagem dos integrantes antes do espetáculo.

Na próxima semana, a comissão volta a se reunir, dessa vez com o Comitê Científico do Rio de Janeiro e com a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), para debater as sugestões e aguardar o veredito.

O vereador também informou que serão feitas cerca de três consultas públicas até novembro para ajustar os detalhes do Carnaval de rua, dos desfiles e um geral para o feriadão.

Algumas agremiações já implementam, por conta própria, protocolos para evitar que a preparação para a folia se torne um novo pico de disseminação da Covid-19 no estado. Ensaios escalonados, comprovante de vacina, uso de máscara e distanciamento social são alguns quesitos que estão sendo cobrados nos ensaios nas quadras.

A Liesa afirmou à CNN que não recebeu, até o momento, nenhuma instrução ou recomendação das autoridades sanitárias para a realização dos ensaios e nem do desfile.

A liga também informou, por meio de nota, que, se receber algum protocolo contra a Covid-19 para os desfiles, poderá transferir o espetáculo para a primeira quinzena de julho.

Mais Recentes da CNN