CNJ deve considerar opinião pública ao julgar desembargador que rasgou multa

Eduardo Siqueira ofendeu e chamou um guarda municipal de "analfabeto" após ser multado por andar sem máscara em Santos (SP) no dia 18 de julho

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) marcou para esta terça-feira (25) o início do julgamento do desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), Eduardo Siqueira, que ofendeu e chamou um guarda municipal de “analfabeto” após ser multado por andar sem máscara em Santos no dia 18 de julho.

O magistrado também tentou intimidar o oficial – ao ligar para o chefe dele – e, durante a abordagem, rasgou a multa que recebeu. 

Integrantes do CNJ disseram à âncora da CNN Daniela Lima que esse episódio será usado pelo órgão para dar uma sinalização bem clara e uma satisfação à opinião pública.

A tendência hoje não é só a de que o CNJ abra um procedimento contra o desembargador, mas também que o afaste de suas funções.

Assista e leia também:

Conduta de desembargador em Santos pode manchar magistratura, diz membro do CNJ

Desembargador Eduardo Siqueira
Desembargador Eduardo Siqueira
Foto: Reprodução

Siqueira, ao longo de sua carreira, acumulou dezenas de queixas dentro do tribunal no qual atua.

Porém, ainda que o CNJ o afaste, o desembargador vai seguir tendo direito de receber o salário. Essa punição só pode ser aplicada depois de julgamento encerrado na Justiça.

(Edição: Sinara Peixoto)

 

 

 

Mais Recentes da CNN