Em meio à pandemia, profissionais autônomos buscam alternativas para ter renda

Demanda geral caiu cerca de 40%; outros serviços prestados ganharam destaque

Carla Bridi da CNN

Ouvir notícia

Os dados última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), publicados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na terça-feira (31), mostram que o país tem 24,5 milhões de trabalhadores autônomos. Com a pandemia de coronavírus, muitos desses trabalhadores têm buscado alternativas para se virar e conseguir pagar as contas no final do mês.

O estado de São Paulo, por exemplo, segue em quarentena até a próxima terça-feira (7). Com isso, as cidades estão mais vazias e grande parte dos trabalhos estão sendo feitos de maneira remota. Ontem, em coletiva, o governador João Doria (PSDB) citou que não há limitação no trabalho de alguns desses profissionais, que prestam serviços a domícilio poderão ir à casa dos clientes, desde que sejam tomadas medidas adequadas de prevenção.

A mudança de comportamento já está sendo notada, é o que mostra no levantamento feito pela plataforma de prestadores de serviços, GetNinjas. De acordo com os dados, no mês de março a demanda geral de serviços caiu 40%. Entretanto, a busca por assistência técnicas para videogame, celulares e televisão teve um aumento significativo.

A autônoma Juliana Menezes, fazia marmitas personalizadas nas casas dos clientes. Entretanto, devido a crise, teve que se adaptar ao novo cenário. “Todas as compras que eram feitas pelos clientes, agora são feitas por mim e agora faço toda a comida em casa”, explica. 

Mais Recentes da CNN