Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ex-PM faz delação premiada, dá detalhes dos assassinatos de Marielle e Anderson Gomes e cita outros envolvidos

    Élcio Queiroz foi preso em março de 2019, acusado de dirigir o veículo usado na noite do crime

    Ministro da Justiça, Flávio Dino, em coletiva no dia 24 de julho de 2023
    Ministro da Justiça, Flávio Dino, em coletiva no dia 24 de julho de 2023 CNN Reprodução

    Lucas Schroederda CNN

    O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, confirmou nesta segunda-feira (24) que o ex-policial militar Élcio Queiroz realizou delação premiada e detalhou sua participação nos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. Dino concedeu entrevista coletiva em Brasília pela manhã.

    Élcio Queiroz foi preso em março de 2019, acusado de dirigir o veículo usado na noite do crime ocorrido em 14 de março de 2018. De acordo com o ministro, em sua delação, Élcio narrou também a participação do ex-bombeiro Maxwell Simões Corrêa, Ronnie Lesa e outras pessoas como copartícipes do crime.

    “O senhor Élcio fez uma delação premiada, essa delação foi homologada e resultou na operação de hoje. Ele revelou a participação de um terceiro individuo [o ex-bombeiro Maxwell Simões Corrêa] e confirmou a participação dele próprio, do Ronnie Lessa e outras pessoas como copartícipes”, disse Dino.

    O ministro reiterou que as investigações continuam em aberto, e que a operação da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) desta segunda-feira marca o fim de uma etapa do processo investigativo.

    “Há um avanço, uma mudança de patamar da investigação. Naturalmente, há aspectos que estão em investigação sob segredo de Justiça. Nas próximas semanas, provavelmente haverá novas operações derivadas desse conjunto de provas colhidas hoje“, afirmou o ministro.

    Segundo Dino, novas provas foram colhidas e reanalisadas pela PF desde fevereiro e confirmaram, “de modo inequívoco”, a participação de Élcio Queiroz e Ronnie Lessa nos assassinatos de Marielle e Anderson.

    “A delação [de Élcio] é a conclusão das provas já colhidas anteriormente e é o início de uma nova produção probatória que foi deflagrada hoje. Os alvos dos mandados de busca e apreensão estão relacionados à delação”, acrescentou Dino.

    Conforme reforçou o ministro, os resultados das buscas e apreensões indicarão os próximos passos a serem seguidos pela investigação.

    FOTOS: Caso Marielle Franco